Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Ambulantes invadem calçadas dias depois de operações feitas pela Prefeitura de Manaus

Irregularidades no Centro e Zona Leste de Manaus acontecem em meio a falta de fiscalização. Vendedores de verduras nos carros de mãos também estão implicados

Na Avenida Epaminondas, no Centro, donos de boxes decidiram apostar na falta de fiscalização e voltaram a ocupar calçadas, fato criticado pela população

Na Avenida Epaminondas, no Centro, donos de boxes decidiram apostar na falta de fiscalização e voltaram a ocupar calçadas, fato criticado pela população (Érika Melo )

As duas ações realizadas pela Prefeitura de Manaus para desobstruir calçadas ocupadas irregularmente por boxes e camelôs na última semana, no Centro e na Zona Leste, tiveram efeito paliativo e deram lugar a novas irregularidades motivadas pela falta de fiscalização.

Na primeira, por exemplo, realizada num pequeno trecho da avenida Autaz Mirim, no bairro Tancredo Neves, na Zona Leste, os donos de 12 boxes que ocupavam a calçada há, pelo menos, 20 anos demoliram as estruturas recuando quatro metros. Porém, parte do “espaço livre” que segundo o município é destinado ao pedestre, voltou a ser ocupado, mas desta vez como mostruário para produtos, fato ocorrido em toda a extensão da avenida Autaz Mirim.

No local, basta olhar para o lado para ver que a ação do município teve efeito tímido frente às ocupações irregulares de calçada que acontecem nos dois sentidos da via, cometidas principalmente por comerciantes e camelôs.

O mesmo ocorre na segunda ação realizada pelo município na avenida Epaminondas, no Centro. No último sábado, foram retiradas cinco bancas de camelôs que estavam irregulares na calçada. Duas bancas, inclusive, pertencem a dois microempresários, como estão sendo chamados os ex-camelôs pelo município. O detalhe é que um ganhou uma loja na recém-inaugurada galeria definitiva Espírito Santo e o outro havia sido transferido para o camelódromo provisório na avenida Floriano Peixoto. No entanto, continuavam na rua driblando o projeto da prefeitura de reordenamento do Centro. As bancas retiradas do local deram lugar a ambulantes com carrinhos de mão usados na venda irregular de frutas verduras.

Verduras

Os vendedores de verduras nos carros de mãos também foram alvo da ação para deixar a calçada livre e chegaram a ser notificados pela da Secretaria Municipal de Feiras, Mercados, Produção e Abastecimento (Sempab). Eles deveriam comparecer à sede da secretaria no bairro São Francisco, Zona Sul, para buscar um outro local de trabalho. A ação integra o projeto de revitalização e ordenamento do centro histórico da cidade e foi realizada pela Sempab e pela Secretaria Municipal do Centro (Semc).

Ontem, vários deles permaneciam vendendo dos produtos no local como se nada tivesse acontecido. Também não tinha nenhum fiscal da prefeitura para inibir o comércio irregular.

A venda de frutas e verduras por ambulantes ocorre com maior intensidade no outro lado da avenida em meio a pedestres no ponto de ônibus, lugar onde também não deveriam estar segundo o próprio município.

O titular a Sempab, disse durante a ação que a retirada de vendedores irregulares das ruas é um compromisso com os novos microempreendedores individuais que estão nas galerias e com a população que merece usufruir de calçadas livres no centro histórico de Manaus.