Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Catadores de materiais recicláveis cobram Prefeitura de Manaus

Trabalhadores prometem ocupar o Largo de São Sebastião, no Centro, em uma ação de educação ambiental, neste sábado (17), em frente o Teatro Amazonas

Um dos objetivos dos grupos de catadores é transformar as cooperativas em empreendimentos a serviço da prefeitura

Um dos objetivos dos grupos de catadores é transformar as cooperativas em empreendimentos a serviço da prefeitura (Euzivaldo Queiroz)

Cansados de esperar por medidas da Prefeitura de Manaus, grupos de catadores de materiais recicláveis decidiram fazer do Largo de São Sebastião palco para uma ação de educação ambiental para conscientizar a população sobre a importância do trabalho deles. O ato vai acontecer neste sábado (17), às 16h, em frente ao principal cartão-postal da cidade, o Teatro Amazonas.

A representante nacional de catadores de materias recicláveis, Irineide Lima, afirma que chegou o momento para mostrar a importância dos catadores. “Trabalhamos nas ruas e poucas pessoas dão valor, poucas sabem que existe catador organizado dentro de um movimento, ninguém sabe que ele é nacional e tem em todo Brasil”, afirmou.

A catadora Márcia Lorena Ruiz, 40, diz que atualmente, com as cooperativas formadas, o catador é valorizado, mas ainda é pouco. “Estamos nessa caminhada desde 2010, agora vamos chamar a atenção da sociedade em geral e dizer para que servimos. Eu saí do lixão” disse.

Segundo a Procuradora do Ministério Público do Trabalho (MPT) Alzira Melo Costa, existem nove grupos organizadores de catadores entre associações e cooperativas e três a quatro grupos informais, que realizam coleta seletiva nas ruas da cidade e em empresas.

Atualmente, a profissão de catador é recolhecida pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), órgão máximo de representação das cooperativas no País. “Esses catadores estão entrando em um novo processo. Antes a questão era outra, hoje eles estão em uma nova fase, a de implementação da profissão, para a formação de um emprendimento econômico solidário”, declarou.

Anda segundo a procuradora do MPT, o objetivo de transformar os grupo de cooperativas em empreendedores é que eles possam prestar serviço para o município e serem remunerados de maneira adequada. Isso porque, atualmente, o catador só recebe pelo que coleta .

Além disso, a contratação dos catadores pelo poder público vai possibilitar a inclusão social da categoria e de seus familiares, atendendo a Política Nacional de Resíduos Sólidos, que abrange ainda a questão ambiental, econômica, política e social, colocando a solução dessa situação como prioridade nos municípios.