Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Líder de facção criminosa comemora aniversário com regalias dentro de presídio do AM

Festa do traficante e líder da facção criminosa ‘FDN’, Alan Castimário, mais conhecido como ‘Nanico’, nas dependências do Centro de Detenção Provisória (CDP), teve ainda churrasco e pagode. Secretário dos Direitos Humanos desconhecia a farra

De acordo com a polícia, ‘Nanico’ é um dos líderes da facção criminosa ‘FDN’

De acordo com a polícia, ‘Nanico’ é um dos líderes da facção criminosa ‘FDN’ (Luiz Vasconcelos )

O secretário de Justiça e de Direitos Humanos do Amazonas, Louismar Bonates, deve instaurar procedimento para apurar denúncias sobre a realização de uma festa de aniversário para o detento Alan de Souza Castimário, o “Nanico”, ocorrido no dia 2 deste mês, nas dependências do Centro de Detenção Provisória (CDP), localizado no km 8 da BR-174. Segundo a Sejus, a festa foi regada a bebida alcoólica, churrasco e pagode e teve, como atração principal, um bingo que tinha como prêmios um quilo de maconha e outro de cocaína.

“Eu não fui informado dessa festa e, se aconteceu a esses moldes, foi totalmente irregular. Vamos apurar e identificar os responsáveis”, disse Bonates. A festa foi realizada na presença de familiares de outros detentos, que foram visitar parentes que estão presos no CDP e ficaram chocados, principalmente com a premiação do bingo.

Segundo informações de alguns visitantes, que preferem manter seus nomes em sigilo temendo represálias, foram vendidas cartelas de bingo e os prêmios foram colocados sobre uma mesa. Um interno que cantava as pedras do jogo anunciava, em voz alta, que a primeira rodada seria de um quilo de “feijão”, como é chamada a maconha dentro do presídio. Já o segundo prêmio era “uísque”, como os detentos “apelidaram” a cocaína.

De acordo com relatos de fontes de A CRÍTICA, a festa entrou pela noite e, segundo as visitas, ex-presidiários integrantes da facção criminosa Família do Norte (FDN), da qual Nanico faz parte, foram cumprimentar o comparsa.

As visitas também viram que todo o material usado na festa, inclusive a premiação do bingo, entrou na cadeia sem passar pelo processo de revista a que os objetos e alimentos levados pelos familiares dos demais presos passam. As informações foram confirmadas por agentes penitenciários do CDP.

Bingos

Os agentes informaram que os bingos nos presídios ocorrem com frequência e que os prêmios vão desde pacotes de biscoitos até pacotes de droga, e que a entrada de ex-presidiários como visitantes, chamada de entrada social, onde é usada apenas a carteira de identidade, também é comum.

Nanico é considerado pela Sejus um preso de alta periculosidade e já cumpriu pena em presídio federal. Ele é do alto escalão da facção FDN e está no mesmo nível hierárquico que Genildo da Silva Saraiva, o “Candiru”, Gregório Graça Alves, o “Greg” ou “Mano G”, eVainer de Matos Magalhães, o “Pepe”.

Preso com arsenal e cocaína

Alan Castimário, o “Nanico”, está preso desde 2012, quando foi encontrado em uma casa na rua 15, no conjunto Jardim de Versailles, Zona Centro-Oeste, com um vasto arsenal de armas e munições.

No local, que funcionava como “QG” de Nanico, a polícia encontrou coletes à prova de bala, rifles, fuzis, escopetas, pistolas, metralhadoras e submetralhadoras. Todas as armas estavam prontas para ação. No QG ainda havia mais de 700 balas para fuzil de 762 milímetros, além de 78kg de cocaína.

Em julho do ano, passado ele conseguiu fugir da cadeia, com mais 175 internos, na maior fuga do sistema penitenciário. Apontado como o mentor da fuga, foi recapturado.

Nanico foi indiciado por 19 homicídios no período de 2009 a 2012 e ainda é investigado por participação em mais quatro. Entre os de maior repercussão estão as execuções do empresário Flávio Augusto Coelho, o “Flavinho da 14”, em novembro de 2010, e dos “irmãos Metralha” Jacob Jessé Dias França, o “Jacozinho”, e Joelson Dias França, o “Jojoba”, em maio do ano passado.