Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Paralisação de obra de creche facilita invasão em Manaus

Moradores aproveitaram o abandono do canteiro de obras para construir casebres aproveitando o muro da unidade

Parte dos casebres erguidos no terreno, que fica ao lado da construção paralisada, usa o muro da creche como apoio

Parte dos casebres erguidos no terreno, que fica ao lado da construção paralisada, usa o muro da creche como apoio (Luiz Vasconcelos )

Cerca de 30 casas de madeiras foram construídas ao lado de um terreno que pertence à prefeitura e onde deveria funcionar uma creche, na rua Bom Jesus, bairro Zumbi 3, Zona Leste.

No terreno, a prefeitura começou a construir uma creche, no início do ano passado, mas paralisou a obra. Uma placa de serviço colocada em frente ao local informa que a obra deveria ter sido entregue no dia 3 de maio de 2013, o que não aconteceu. A paralisação da obra facilitou a invasão, que começou no mês de agosto.

Segundo moradores, os invasores aproveitam o muro da creche para erguer as casas.

Moradores da área invadida não quiseram falar com a reportagem, mas um vendedor ambulante, que não quis se identificar, contou que a maioria das pessoas é do interior do Estado. “No início eram só umas cinco casinhas aí, mas o povo foi avisando os parentes, a moradia foi aumentando. A maioria veio do interior, nunca moraram em Manaus. O restante é gente que morava em Manaus, mas pagava aluguel”, informou o vendedor.

Segundo ele, a invasão ganhou força com a paralisação da obra. “Quando os homens estavam trabalhando aí, a invasão não tinha chegado lá embaixo. Mas quando a obra foi parada, eles aproveitaram pra terminar de invadir”.

Obra

A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) informou que as obras da creche foram interrompidas porque a empresa Planen Construtora Indústria e Comércio Ltda., encarregada da construção, desistiu de continuar a obra. A prefeitura irá realizar uma nova licitação, mas ainda não há data definida para a concorrência.

Em nota, a assessoria da Secretaria Municipal de Educação (Semed) informou que não deve interferir na invasão porque o terreno ao lado do da creche não é de responsabilidade da Prefeitura de Manaus.

Vizinhança

Ao lado da invasão, pouco abaixo do Conjunto Residencial Barcelona, há outra ocupação, com o dobro de tamanho. No local há mais de 300 casebres de madeira. Segundo moradores, o terreno começou a ser invadido bem antes das obras da creche.

Um mototaxista, que também não quis se identificar, explicou que há mais de ano mora no local e, em todo esse tempo, ninguém apareceu na área para retomar o espaço.