Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Presidente Dilma diminui visita à Manaus em um dia

Impasse no fim da obra da Arena leva presidente adiar sua visita para sexta-feira (14). Segundo assessoria de Dilma, 'por enquanto' a obra da Copa 'saiu da agenda'

Presidente Dilma Rousseff fez valer suas vontades na queda de braço com a Fifa

A presidente Dilma Rousseff irá entregar 5.384 unidades do Residencial Viver Melhor ( Ueslei Marcelino/Reuters)

Após impasse no Governo do Estado sobre a inauguração da Arena da Amazônia, a assessoria da Presidência da República informou, nesta terça-feira (11), que diminuiu em um dia a visita da presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) em Manaus e que “por enquanto” a obra da Copa “saiu da agenda”. Há expectativa que Dilma pelo menos visite a obra.

Nesta terça-feira, a assessoria da presidente divulgou previsão de agenda para as 9h30 com entrega de 5.384 unidades habitacionais do Residencial Viver Melhor, Zona Norte de Manaus, incluso no programa do Governo Federal “Minha Casa, Minha Vida”. No mesmo local, a presidente Dilma, durante o seu discurso, deve fazer anúncio de verbas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para serem investidas em obras de mobilidade urbana em Manaus.

Segundo a assessoria, a presidente deve chegar a Manaus na sexta pela manhã (sem previsão de horário até ontem à tarde) e retornar a Brasília no mesmo dia. Na segunda-feira, a assessoria informou que presidente Dilma passaria dois dias em Manaus: quinta-feira (quando participaria de evento para anúncio de verbas para mobilidade urbana) e sexta-feira (em que a agenda incluía entrega das unidades habitacionais e inauguração da Arena).

No mesmo dia, pela manhã, o coordenador da UGP Copa, Miguel Capobiango (PMDB), confirmou a inauguração da Arena na sexta-feira com a presença da presidente Dilma Rousseff. Menos de meia hora depois, o governador Omar Aziz declarou que não havia condições de inaugurar a Arena porque a obra está inacabada.

À tarde, Miguel Capobiango informou que outros estádios foram inaugurados faltando detalhes no acabamento, mas que não queria polemizar com o governador, a quem cabia definir a data.

O Governo do Estado passou informações à Presidência da República de que a obra estava inacabada porque ainda faltavam “detalhes como limpeza e a preparação para a inauguração”.

Os funcionários da Construção Civil se articulam para fazer uma paralisação de obras no dia em que a presidente Dilma estiver em Manaus. Querem chamar atenção dela para as condições de trabalho dos operários. A Arena contabiliza quatro mortes.