Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Copa do Mundo: Turistas ‘elegem’ os melhores points de Manaus

Os bares tradicionais da cidade entraram na rota dos torcedores estrangeiros em busca de cerveja gelada e boa companhia

Depois da invasão britânica, agora é a vez dos portugueses e americanos

Depois da invasão britânica, agora é a vez dos portugueses e americanos (J. Renato Queiroz)

O bom entrosamento entre os turistas de diversas partes do mundo e os moradores de Manaus ficou restrito à farra nas praças e principalmente nos bares da cidade. Os bares do Armando e do Caldeira, no Centro, a loja de conveniência do posto Arena e o bar do Bigode, ambos na avenida Constatino Nery, foram eleitos os “points” mais frequentados pelos turistas da Copa.

O temido calor manauara não intimidou os “gringos”. “Manaus, sol forte e cerveja, combinação perfeita! Por falar nisso, entrevista seca a garganta, por favor, traga um litro de cerveja, deu sede”, brincou o turista inglês Robert Mix.

A capital ficou mais agitada que o normal com a presença deles no posto que fica em frente à Arena da Amazônia. O proprietário teve de usar um tanque de 500 litros com gelo e muita cerveja para atender os ingleses que foram ao estádio no primeiro dia do jogo da Copa do Mundo. “Não esperávamos tanta gente, tivemos que fechar as bombas de combustíveis, pois precisamos dos funcionários para atender os turistas, mas estamos felizes, dobramos o número de funcionários e também lucramos muito bem”, disse o gerente Cleo Paes.

Usando bandeiras do país de origem, carregando uma réplica da Taça do Mundo, cantando o hino e bebendo muita cerveja no gargalo, eles também se aglomeravam em frente ao Teatro Amazonas e lotaram o Armando, considerado o ‘point’ número 1 dos ingleses. “Manaus é bom demais, Teatro Amazonas e amigos amazonenses, todas as noites saímos para jantar e conversar”, disse o inglês Peter Rolls.

Bica neles

Segundo o administrador do bar do Armando, Roberto Carvalho, as vendas só não superaram o dia da tradicional Banda da Bica, que acontece no período do carnaval, mas que ultrapassou bem mais os dias de esquenta da banda. “Nós não fizemos nada para chamar a atenção deles, eles simplesmente nos escolheram. O bar abre às 9h e não tem hora para fechar. E isso é bom, receber varias nacionalidades é um prazer”, disse Roberto.

Roberto disse que o bar chega a vender 150 grades de cerveja por dia e o número de funcionários que antes era quatro, aumentou para 17. “Vendo a cerveja de um 600ml por R$ 8, duas por R$ 15 e três por R$20, onde já estou cobrando o valor do vasilhame”, disse.

Bigode alegre

Um outro bar que está sendo considerado point pelos turistas é o Bar do Bigode, que fica na avenida Constantino Nery. Antes o funcionamento era somente aos sábados e agora está abrindo de quarta a domingo, e chega a vender 90 grades de cerveja por dia, segundo Francisco Paz, proprietário do bar. “Eles (ingleses) são duros na queda, se tiverem três em uma mesa, é uma cerveja para cada um, e não gosta de copo, tem que ser no gargalo mesmo”, comentou Francisco.