Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Vendas para o Dia dos Pais devem subir 2,5% em Manaus

Aumento não será suficiente para recuperar a queda registrada em junho e julho durante a Copa, de acordo com Câmara dos Dirigentes Lojistas da capital

Sapatarias são um segmento do varejo que vende bem nessa época do ano

Sapatarias são um segmento do varejo que vende bem nessa época do ano (Arquivo ACRÍTICA)

Em 2014, as compras de presentes para os pais devem injetar mais de R$ 70 milhões no comércio local, o que representa um crescimento de 2,5% em relação ao ano anterior. Os dados são do levantamento feito pelo Instituto de Pesquisa do Norte (Ipen) a pedido da Câmara dos Dirigentes Lojistas da capital (CDLM).

Segundo o presidente da Câmara, Ralph Assayag, apesar de positivo, o número não vai conseguir sanar os danos do período da Copa e está abaixo da estimativa feita CDLM no início do ano, que era de 3,5%. “Esse valor não vai conseguir recuperar os prejuízos da Copa. Até porque são posicionamentos de loja diferentes que vão gerar esse valor”, explica.

A pesquisa mostra ainda que a maioria das pessoas pretende gastar uma média de R$ 170 com o presente. Quando fragmentados, os dados mostram que 23,1% pretende gastar entre R$ 81 e R$ 120; 18,4% entre R$ 41 e R$ 80; 14,7% entre R$ 121 e R$ 200; 12,8% entre R$ 201 e R$ 400; e, 10,2% mais de R$ 600.

A maioria das pessoas pretende presentear os pais com alguma peça de roupa. De acordo com a pesquisa, 29,1% cogitam comprar peças de vestuário; 16,3% vão apostar nos calçados, cintos e porta cédulas; 12,2% nos celulares; 10,5% em perfumes e similares e 7,8% em jóias e relógios. O restante das intenções varia entre eletrônicos, CDs, DVDs, computadores e notebooks, tablets, aparelho de som, entre outros.

Pagamento

Com uma larga vantagem a frente das outras opções de forma de pagamento, a mais citada entre os entrevistados foi a com dinheiro (70,6%), seguida de cartão de crédito (19,9%), cartão da loja (4%), cartão de débito (2,8%), crediário ou carnê (1%), cheque à vista (0,7%) e cheque pré-datado (0,2%).

A maioria das pessoas afirmou que pretende comprar o presente no comércio formal do Centro (44,2%). Logo atrás, vieram os shoppings (25,1%), comércio do bairro (21,5%), internet (2,3%), livrarias (1,4%), camelôs (1,4%), catálogos (0,9%), agências de turismo (0,5%) e feiras (0,4%).

Promoções

Quem souber procurar, vai conseguir comprar os presentes por um preço mais baixo, de acordo com Ralph.

“Em junho e julho, muita gente não evitou fazer compras por causa da Copa e das férias. A partir de agora, começou a sair a primeira parcela do 13º dos trabalhadores. Então as lojas começaram a oferecer vários ‘queimas’ para atrair clientes. É uma forma de chamar a atenção mesmo, porque eles não colocam todas as peças em promoção, mas com o cliente já lá dentro, fica mais fácil de vender. É bem provável que grandes descontos em alguns produtos apareçam até o Dia dos Pais”.