Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Veterinário desaparece na orla do Amarelinho em Manaus

Fernando Augusto Moura saiu para atender ao chamado de um cliente na orla do Amarelinho, no bairro Educandos, na Zona Sul, no sábado, e não foi mais visto

O carro do veterinário modelo Corsa, cor prata, de placa AKV-2523, foi encontrado na orla do Amarelinho com as portas destravadas

O carro do veterinário modelo Corsa, cor prata, de placa AKV-2523, foi encontrado na orla do Amarelinho com as portas destravadas (J. Renato Queiroz)

O médico veterinário Fernando Augusto de Souza Moura, 72, desapareceu misteriosamente por volta das 14h30 de sábado, na orla do Amarelinho, no bairro Educandos, na Zona Sul. O veterinário estava no consultório dele no bairro Coroado, na Zona Leste, e recebeu um chamado de um cliente ainda não identificado pela polícia para ver um animal em uma embarcação que estaria atracada na orla do Amarelinho.

Ele foi ao local, estacionou o carro em frente ao bar e restaurante São Francisco e desapareceu. A partir daquele momento, o celular foi desligado e Fernando não deu mais nenhum sinal sobre seu paradeiro, o que fez a esposa dele, Débora Moura, 34, e amigos entrarem em desespero.

O carro do veterinário modelo Corsa, cor prata, de placas AKV-2523 foi encontrado no local do mesmo jeito que foi deixado. O veículo estava com as portas destravadas e dentro estavam todos os pertences do médico. Entre eles, o estetoscópio usado nas consultas, documentos, e até dinheiro no painel do veículo. Nada foi mexido.

A polícia esteve no local e periciou o veículo que não apresenta nenhuma marca de sangue ou que indique violência praticada contra Fernando. Comerciantes do local informaram apenas que o carro está parado no local desde sábado, mas não viram se o veterinário estava só ou a direção que tomou após descer do veículo.

Débora e amigos de Fernando iniciaram uma busca em hospitais, prontos-socorros e no Instituto Médico Legal (IML), mas sem sucesso. Na manhã de ontem, eles receberam uma informação que um homem com o mesmo nome do veterinário deu entrada no Serviço de Pronto Atendimento (SPA) do Alvorada, mas que deixou a unidade sem receber alta médica. Durante à tarde, descobriram que o registro era do ano passado, quando Fernando deu entrada na unidade com virose.

Fora da área

Por telefone, Débora disse que registrou um Boletim de Ocorrência informando o desaparecimento do marido no 2º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Ela disse que ligou várias vezes para o celular de Fernando, mas o aparelho está desligado. Eles moram no bairro Dom Pedro e ela diz que o marido não teria motivo para ficar sem dar notícias caso não tivesse acontecido algo grave.