Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Polêmica nas redes: Os limites da liberdade na internet viram discussão em Manaus

Postagem de imagens e comentários inapropriados em grupos nas redes sociais e celulares, estão levantando discussões sobre os ‘limites’ de tais condutas

Comportamento das pessoas que faziam fotos no celular do acidente na Djalma Batista foi criticado nas redes sociais

Comportamento das pessoas que faziam fotos no celular do acidente na Djalma Batista foi criticado nas redes sociais (Clóvis Miranda)

Uma foto, um comentário ou um vídeo ganharam novas serventias na era do Facebook. Na rede social circula uma série de imagens e opiniões capazes de levantar debates ou causar polêmicas entre seus usuários.

Desde a sexta-feira passada, uma imagem divulgada no Facebook causa polêmica na Internet. A foto registrou o momento em que várias pessoas se aproximaram do local do acidente entre o micro-ônibus da linha 825 e uma caçamba na avenida Djalma Batista com as câmeras dos celulares ligadas para compartilhar as fotos nas redes sociais, entre elas o Facebook.

Muitos usuários criticaram o comportamento das pessoas que faziam fotos no celular no momento em que homens do Corpo de Bombeiros retiravam as vítimas que morreram na hora do impacto entre o micro-ônibus e a caçamba, e de sobreviventes que ainda tentavam sair do veículo.

Em suas páginas pessoais, os chamados “perfis”, usuários compartilharam a foto com sentimento de revolta pedindo para que fotos das vítimas mortas no local do acidente deixassem de ser publicadas como se fosse um “espetáculo”.

Alguns usuários pediam orações e respeito a dor dos familiares e amigos que perderam entes queridos na tragédia. A CRÍTICA conversou com alguns internautas sobre a opinião deles em relação a esse tipo de comportamento. “Não acreditava no que estava vendo. Digo em relação ao acidente e às pessoas que estavam fazendo fotos com as câmeras dos celulares buscando o melhor ângulo das pessoas mortas e feridas”, relata a universitária Ana Luísa Machado, 24, que voltava para casa quando se deparou com a cena de um dos mais trágicos acidentes no trânsito da capital.

“Vi pessoas fazendo foto da jovem grávida estendida no chão. Uma enorme falta de respeito. Não consegui entender a frieza dessas pessoas em compartilhar um momento triste como esse em uma rede social. Acho que as pessoas precisam aprender mais a usar as redes sociais”, comentou o estudante Elias Mendonça, 23, que parou no local do acidente porque alguns colegas costumam usar a mesma linha de ônibus.

O acidente também reacendeu a discussão na rede social sobre a circulação de caminhões nas ruas de Manaus e a fiscalização do sistema de transporte dos modais Executivo e Alternativo.

“Resolver o problema de mobilidade na cidade é uma realidade necessária. Aumentar as fiscalizações sobre as condições de circulação dos transportes públicos é básico. Enfim, tomemos não só esse infeliz e lamentável acontecimento como referência para ações, mas vivamos com maturidade a verdadeira necessidade de mudança!”, declarou uma leitora de A CRÍTICA.