Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Fetracom apresenta projeto para feiras da área conhecida como Manaus Moderna

Proposta da Federação dos Trabalhadores do Comércio para a feira prevê um prédio que abrigue todos os feirantes, além de uma área de comércio com lojas e praça de alimentação

Projeto da Fetracom possibilita a construção de um prédio para feirantes com lojas, serviços, e um camelódromo no 3º piso

Projeto da Fetracom possibilita a construção de um prédio para feirantes com lojas, serviços, e um camelódromo no 3º piso (Divulgação)

Instalada numa das áreas mais bonitas da cidade, próxima à orla do rio Negro, a Feira da Manaus Moderna é um exemplo do que não deveria ser. Apesar da frequência estimada em mais de 10 mil pessoas mensalmente, a falta de infraestrutura e a desorganização são marcantes para aqueles que, até por uma questão cultural, ainda fazem as compras naquele empreendimento. A necessidade de mudanças é defendida por feirantes e consumidores, mas não há alterações previstas a curto prazo.

Por conta desse cenário, vários projetos já foram apresentados visando revitalizar o local e o último vem da iniciativa da Federação dos Trabalhadores no Comércio do Estado do Amazonas (Fetracom).

Com a perspectiva de restaurar a paisagem para o rio e garantir espaço adequado tanto para os feirantes atuais, quanto para outros que desejem explorar novos ramos comerciais, a entidade quer autorização para buscar recursos e financiar um prédio de dois andares, com espaços para abrigar não só os 693 feirantes, mas ainda 840 lojas de uma praça de alimentação que tornaria o espaço na Feira Shopping Manaus.

Se houvesse aceitação, um terceiro piso poderia ser construído para abrigar os camelôs. Além da Feira da Manaus Moderna, o prédio poderia contemplar também os vendedores da Feira da Banana, situada próximo a ela.

De acordo com o presidente da Fetracom, Elias Sereno, os cálculos indicam um custo de R$ 100 milhões. A ideia é que cada feirante ou locatário adquira o espaço financiado por um fundo de investimento e pague por ele, tornando-se proprietário e responsável pela manutenção do espaço, afirma o presidente.

A feira seria instalada num prédio a ser construído em área próxima onde está atualmente. A questão, segundo Elias, é que não se sabe ainda se o terreno pertence ao município ou à União, o que não seria um problema, já que o poder público, ao aprovar o projeto, poderá conceder a área aos feirantes ou encontrar uma forma disso acontecer. A entidade aguarda, inclusive, a resposta a uma solicitação de audiência com o prefeito Artur Neto para apresentar o projeto.

Estacionamento

Um dos problemas frequentes da feira atualmente é a falta de estacionamento. No projeto, está a proposta de construção de grande espaço para os veículos em área próxima onde será instalado o prédio da Feira Shopping Manaus. Para Elias, a decisão de procurar intervir nessa questão é resultado da falta de alternativas para aqueles trabalhadores.

“Como o poder público não precisará gastar dinheiro com esse projeto, não haveria dificuldades em aprová-lo”, explicou, lembrando que o local contaria com todos os serviços, inclusive aqueles inexistentes ali, como bancos, por exemplo.

Há proposta de ter uma grande loja que funcionaria como âncora e outras menores para tornar o local atrativo. “Assim, teríamos a manutenção da feira tradicional com a modernidade das lojas, cada um no seu andar”, disse o presidente, assegurando ser a melhor proposta para atender às necessidades dos feirantes e da clientela.

Projeto ‘prematuro’

O presidente do Sindicato dos Feirantes de Manaus e da Feira Manaus Moderna, Davi Lima, afirmou conhecer e concordar com o projeto, mas considerou prematuro apresentá-lo antes do conhecimento e anuência do prefeito Artur Neto.

Embora considere como ponto central a busca de financiamento próprio, em instituições como a Caixa Econômica Federal, Davi ressalta a necessidade da obra e não acredita que haveria empecilhos para a liberação da área, mas recomenda paciência e, antes, conversas com o poder público municipal.

A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) se prepara para iniciar uma licitação em meados deste mês, para o projeto elaborado pelo Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb) contemplando a orla da área denominada Manaus Moderna, no trecho em frente à feira.

Aprovado com ressalvas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e Caixa Econômica Federal, o projeto deve dar um novo visual à orla do porto da Manaus Moderna, com revitalização da pavimentação, iluminação a vapor metálico, que possibilita maior claridade, e faixas de pedestres. O custo aos cofres públicos será de cerca de R$ 1,5 milhão.