Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Motoristas imprudentes ignoram retorno e atravessam avenida na contramão em Manaus

Para não ter que fazer o retorno, aproximadamente 300 metros à frente, motoristas entram na contramão na avenida Carlota Joaquina para chegar à avenida Mário Ypiranga, no bairro PQ 10, Zona Centro-Sul

Enquanto motoristas de carros cruzam a avenida Carlota Joaquina na contramão, motociclistas passam pelo canteiro central

Enquanto motoristas de carros cruzam a avenida Carlota Joaquina na contramão, motociclistas passam pelo canteiro central (Luiz Vasconcelos)

Apesar da grande quantidade de informação, motoristas imprudentes continuam utilizando os veículos como “armas”, que a qualquer momento podem machucar pessoas. No bairro Parque 10, Zona Centro-Sul, motoristas parecem não ter receio e entram na contramão na avenida Carlota Joaquina para chegar à avenida Mário Ypiranga, tudo para evitar ter que fazer o retorno, aproximadamente 300 metros à frente. Durante um período de 15 minutos em que a reportagem esteve no local, cinco motoristas fizeram a manobra, colocando em risco pedestres e outros motoristas que seguem pela avenida no sentido correto.

Segundo o motorista Evandro Augusto Medeiros, 51, essa alternativa encontrada pelos condutores se tornou comum e o risco de acidente é iminente, principalmente durante a manhã e final da tarde, quando há maior fluxo de veículos. “Eles esperam diminuir o número de carros para passar, mas a qualquer momento pode vir um motorista na direção certa e colidir”, explicou o motorista.

Assim como os condutores de carros, os motociclistas fazem a mesma manobra e passam pelo canteiro central sem que haja qualquer fiscalização.

Para os moradores, a falta de fiscalização é o principal problema das ruas do bairro Parque 10, pois os motoristas se prevalecem disso para cometer as infrações. De acordo com o comerciante Aurélio Pinto, a imprudência é a principal causa da maioria dos acidentes, porque não há necessidade dos motoristas fazerem esse tipo de manobra e, mesmo assim, insistem. “Eles acham mais importante ganhar cinco o minutos andando na contramão do que preservando a vida deles e das outras pessoas”, disse o comerciante.

Pedestres

Os pedestres que também passam pelo local contam que precisam ficar muito mais atentos na hora de atravessar, porque o risco de atropelamento, depois da mudança do sentido da rua 6, ficou maior. Segundo a dona de casa Maria Olivia de Lima, não há faixa de segurança próximo e os pedestres precisam dividir espaço com os carros. “Além de dividir espaço com os carros na hora de atravessar, agora temos que conviver com medo de aparecer um ‘louco’ andando na contramão”, acrescentou Maria Olivia.

Para a dona de casa, é preciso que os órgãos de fiscalização tomem providências o quanto antes, já que, a qualquer momento, pode acontecer um acidente.