Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Mês de abril começa com muita chuva mas poucas ocorrências, em Manaus

Apesar da alta precipitação, principalmente durante a manhã desta terça-feira (1°), a Defesa Civil não registrou ocorrências até o início da tarde. A previsão para o mês, contudo, é de 21 dias de chuva, segundo o Sipam

A chuva foi mais forte nas Zonas Sul, Centro-Sul e Oeste da capital amazonense, áreas onde não existem muitos riscos

A chuva foi mais forte nas Zonas Sul, Centro-Sul e Oeste da capital amazonense, áreas onde não existem muitos riscos (Antônio Menezes)

Apesar da chuva intensa que caiu na manhã desta terça-feira (1°) em Manaus, a Defesa Civil do município não registrou nenhuma ocorrência até o início da tarde. A concentração da chuva nas Zonas Sul, Centro-Sul e Oeste da capital, locais onde não existem muitas áreas de risco, contribuiu para a feliz estatística. A Zona Oeste, por exemplo, chegou a registrar 36 milímetros de chuva desde a madrugada até o meio-dia. A Zona Leste, que concentra mais áreas de risco, não teve índice pluviométrico elevado.

Contudo, há motivos para preocupação. O monitoramento do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) aponta que a previsão de chuva para o mês seja de 21 dias, o que leva autoridades e população a se prepararem para a ocorrência de enchentes e deslizamentos.

Na Lagoa do Japiim, por exemplo, a chuva fez o nível das águas subir, causando transtornos em um pequeno trecho da avenida Rodrigo Otávio, no bairro Japiim, Zona Sul de Manaus. Conforme divulgou a página do Trânsito Manaus numa rede social, um jacaré acabou saindo da lagoa e invadiu a calçada da avenida, assustando quem passava pelo local.

O jacaré foi conduzido de volta à lagoa por um guarda municipal instruído para lidar com esse tipo de situação. De acordo com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), há três jacarés na Lagoa do Japiim atualmente.

Situações como esta já fizeram o órgão coordenar, juntamente com o Refúgio da Vida Silvestre Sauim-Castanheiras e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), uma operação para resgatar os animais do local e libertá-los em um local seguro. A operação deverá ser realizada novamente esta semana.

O Sipam também informou que a chuva deve permanecer sobre o perímetro urbano pela tarde e seguir em direção ao município de Manacapuru, a 86 quilômetros de Manaus, já no início da noite.

Chuvas em março

Apenas em março, a Defesa Civil de Manaus registrou 757 ocorrências, mais que o dobro em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram computados 364 chamados. Entre as razões para as ocorrências está o elevado índice de chuvas neste mês: segundo o Sipam, o acúmulo de chuvas durante o mês de março é de 413 milímetros, enquanto a média esperada para o período não ultrapassava os 300 milímetros.

O secretário-executivo de Proteção e Defesa Civil, capitão Aníbal Gomes, lembrou que o trabalho preventivo deve ser realizado em parceria com a população, o que já acontece em muitas áreas por meio do Núcleo Comunitário de Proteção e Defesa Civil (Nupdecs).

“A parceria pode ser ainda maior. Para isso, é necessário que a qualquer risco identificado pelos moradores, o número de emergência 199 seja acionado. Assim, trabalha-se preventivamente e os desastres são evitados”, destacou.

A maioria das ocorrências registradas neste mês foi na Zona Leste, com 286 chamados para o 199 (número de emergências da Defesa Civil); seguido pela Zona Norte, com 167; e Sul, com 124 chamados. Foram 242 ocorrências de casas com risco de desabamento. Os números resultaram na criação de uma força-tarefa, coordenada pela primeira-dama e secretária municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh), Goreth Garcia, que tem acompanhado de perto o atendimento social às famílias atingidas.

Ao longo do mês, a Defesa Civil também recebeu 153 chamados de deslizamentos de barrancos, ocorrências consideradas de alto risco. Técnicos do órgão atuam nos locais apontados em parceria com a Semasdh e com a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf). A Prefeitura tem projetos, que foram enviados ao Governo Federal, para que sejam realizadas as obras de revitalização das áreas de risco da capital, a fim de evitar que mais ocorrências dessa natureza aconteçam.

A Defesa Civil tem atuado ainda, preventivamente, para evitar outro transtorno em decorrência das chuvas. Mesmo com os serviços de desassoreamento dos igarapés, ainda foram registrados 103 chamados relacionados a alagamentos. Todas as Zonas da cidade estão recebendo a ação preventiva, que vai continuar ao longo do ano.

Ainda segundo dados do Sipam, a previsão é de mais chuva no mês de abril, com volume em média de 350 milímetros.