Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Após paralisação, ônibus voltam a circular no Centro de Manaus

Trabalhadores interromperam atividades em protesto a liminar expedida pelo TRT-AM. Sindicato contesta acusações do documento e insatisfeitos com pagamento de outra passagem, usuários chegaram a depredar ônibus

Após recomendação do Sindicato dos Rodoviários, motoristas voltaram a circular na área central da cidade

Após recomendação do Sindicato dos Rodoviários, motoristas voltaram a circular na área central da cidade (Márcio Silva)

Após três horas de paralisação na área do Terminal da Matriz, trabalhadores do transporte coletivo de Manaus retomaram as atividades e desbloquearam a área central na tarde desta quinta-feira (8). A intervenção partiu do Sindicato dos Rodoviários, que afirma que possui provas que contestam a liminar expedida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-AM) e, por isso, orientaram os trabalhadores a voltarem a circular. O documento em questão determina a saída de Givancir Oliveira da presidência da entidade.

Segundo o vice-presidente do Sindicato, Josildo Oliveira, a categoria desaprova afirmações contidas na liminar do TRT sobre possíveis irregularidades. “No documento consta que nós não prestamos contas e uma assembleia, que nunca existiu, me expulsava do cargo, mas eu tenho um documento que comprova todos os nossos gastos e que essa reunião foi uma farsa. O juiz também afirma que nós depredamos a nossa sede, porém se ele visitá-la poderá ver a diferença de 2005 até agora”, explicou.

Na ocasião, usuários ficaram revoltados com o pagamento de outra passagem e arremessaram pedras em dois ônibus. Ninguém ficou ferido e nenhum suspeito foi detido. Os coletivos depredados foram encaminhados ao 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e liberados para as garagens.

Paralisação

No início da tarde, vários ônibus coletivos deixaram de circular na área da Matriz após liminar expedida nesta quarta (7) pelo juiz Jander Roosevelt Romano Tavares. Segundo o Sindicato dos Rodoviários, a ação foi articulada pelos próprios trabalhadores. O Manaustrans informou que o congestionamento afetou as avenidas Djalma Batista, Constantino Nery e Epaminondas.

Agentes do Manaustrans coordenaram o trânsito durante o tumulto (Foto: Márcio Silva)

O presidente da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho, considerou a atitude inadmissível. “A atitude é errada, desnecessária e foi feita somente para criar problemas. Não é por aí que resolve as coisas. O diálogo tem que ocorrer na Justiça e não pode prejudicar aqueles que utilizam o sistema”, disse o presidente. Segundo a SMTU, cerca de 120 linhas circulam na área.

Por meio da assessoria, o Sindicato dos Rodoviários informou que não está à frente da ação no Centro e que a mesma foi tomada pelos próprios trabalhadores. “Os trabalhadores estão no comando e esperam uma ação reparatória de danos por parte do judiciário. O sindicato não tem nada a ver com a situação”, disse a assessoria

Liminar

A Justiça do Trabalho determinou o afastamento de Givancir Oliveira do cargo de presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Rodoviário de Manaus (STTRM) nesta quinta (8), em Manaus. A decisão ocorreu por meio de uma liminar (ordem judicial provisória) após três sindicalistas pedirem o afastamento dele do posto por denúncias de falta de transparência na gestão.

A saída do cargo foi aceita e determinada pelo juiz de trabalho Jander Roosevelt Romano Tavares, da 2ª Vara Trabalhista. Conforme a assessoria do TRT, três sindicalistas pediram no documento que seja realizada uma eleição para escolher o novo presidente do STTRM. Eles reclamaram problemas com prestação de contas e transparência.