Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Em assembleia, professores da rede pública aceitam reajuste salarial de 10%

Contraproposta do Governo foi aprovada pelo Sinteam, mas desagradou grupos que exigiam aumento de 20%. Na ocasião, professores relataram que foram impedidos de participar da reunião e PM chegou a ser acionada

Professores da rede pública de ensino de Manaus ameaçam cruzar os braços caso não sejam ouvidos

Professores protestaram em frente à sede do Governo na última terça-feira (29) (Euzivaldo Queiroz)

A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores de Educação do Estado do Amazonas (Sinteam) decidiu em assembleia, na tarde desta terça-feira (6), pela aprovação da contraproposta salarial de 10% apresentada pelo Governo. A reunião ocorreu no Sindicato dos Estivadores, Centro, e causou indignação em alguns grupos que cobravam aumento de 20%. Na local, professores relataram que foram impedidos de participar da reunião e a Polícia Militar foi acionada.

A assembleia começou por volta de 15h30 desta terça e durou cerca de uma hora. Além do percentual de reajuste, outras reivindicações inseridas na pauta e discutidas com o governador José Melo na última sexta-feira (2) também foram aprovadas pelo Sinteam, como o vale-alimentação, vale-transporte e plano de saúde. Na ocasião, a categoria exigiu do Governo o percentual de 15% e informou que caso não fosse aceito, uma paralisação não estaria descartada.

Durante a reunião, professores criticaram a postura do Sinteam em não permitir que um grupo composto por aproximadamente 30 professores participasse da discussão. “Sou uma das fundadoras do Sindicato e não me deixaram participar. É um absurdo não fazer parte de uma reunião onde vai se falar do próprio salário”, disse a professora Gleice Oliveira. Duas viaturas da PM foram deslocadas até o local para acompanhar a movimentação.

De acordo com Marcus Libório, presidente do Sinteam, a entrada do grupo não foi autorizada pelo fato dos mesmos não serem sindicalizados. “Estamos apenas respeitando o Estatuto, onde diz que somente as pessoas sindicalizadas podem participar de assembleias, o que não foi o caso desses trabalhadores. Apesar disso a reunião foi produtiva e o ganho será para todos”, completou o presidente.

Contrários à aprovação exigindo aumento de 20%, cerca de seis grupos componentes do coletivo ‘Educadores em Luta’ mostraram-se insatisfeitos com a atitude do Sindicato. “Não concordamos pelo fato do edital de convocação ter sido publicado somente hoje (terça-feira) e por isso iremos encaminhar um manifesto à Justiça”, disse Gleice. A categoria deve receber uma resposta do Governo até esta quinta-feira (8) sobre a pauta de reivindicações.  

Manifestação

No dia 29 de abril (terça-feira), cerca de 250 professores realizaram uma manifestação em frente à sede do Governo, localizada na Zona Oeste de Manaus, cobrando melhores condições de trabalho, mudanças na data base e benefícios trabalhistas. A categoria foi recebida na última quinta-feira (3) pelo governador José Melo, onde foi apresentada a contraproposta de 10%. O reajuste da classe tinha vencimento no mês de março, segundo o Sinteam.