Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Vinte toneladas de produtos piratas com decoração da Copa do Mundo são apreendidos

Cerca de 160.000 objetos foram encontrados dentro de um contêiner vindo do Peru. Produtos serão destruídos e dono pode ter pena de 1 a 4 anos

Ao todo, cerca de 160.000 produtos foram retidos

Ao todo, cerca de 160.000 produtos foram retidos (Divulgação)

A Alfândega do Porto de Manaus fez nesta quinta-feira (10) a retenção de um contêiner com de cerca de 20 toneladas de produtos “piratas” - aproximadamente 160.000 - com decoração da Copa do Mundo 2014. Os objetos ferem os direitos de marca registrados e são considerados contrabando.

A carga foi selecionada pela equipe de análise de risco do Serviço de Vigilância e Controle Aduaneiro (Sevig), que com base nas informações disponíveis nos sistemas informatizados da Receita Federal do Brasil, promoveu o bloqueio da carga no momento de sua chegada em Manaus, antes do registro de sua declaração de importação.

Entre os produtos estavam copos, jarras, pratos e tigelas. Os objetos retidos vieram do Peru e, após os trâmites judiciais, deverão ser encaminhados para destruição. Esses produtos ferem os direitos de marca registrados e são considerados contrabando, crime previsto no artigo 334 do Código Penal Brasileiro com pena de reclusão de 1 a 4 anos.

Fiscalização

O Sevig é o setor da Alfândega do Porto de Manaus que possui a competência de controlar as cargas importadas e exportadas, realizando ações de vigilância aduaneira nos terminais portuários alfandegados. O Inspetor da Alfândega do Porto de Manaus, Osmar Félix, alerta que a fiscalização nos terminais alfandegados é constante.

“Produtos contrafeitos são prejudiciais para a economia de nosso país, provocando inúmeros problemas que vão do não pagamento de tributos até a concorrência desleal. Dessa forma atuamos ininterruptamente no controle das cargas que entram em nosso país. Esse procedimento é uma das principais atribuições da Receita Federal e, de forma alguma, deixaremos de realizá-la”. 

*Com informações da assessoria