Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

ALE-AM aprova reajuste salarial em 5,67% para professores da Seduc e categoria promete greve

Profissionais ficaram insatisfeitos com o aumento, já que o governo havia prometido alteração de 10% no salário. O reajuste de 4,33% ficou para 2015, quando houver novo governador no Estado

Na próxima terça (20) está marcada uma reunião entre os professores para decidir se haverá ou não greve da categoria

Na próxima terça (20) está marcada uma reunião entre os professores para decidir se haverá ou não greve da categoria (Luis Vasconcelos)

Três projetos referentes aos trabalhadores da Secretaria de Educação do Amazonas (Seduc) foram aprovados pelos deputados estaduais na Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) no final da manhã desta quinta-feira (15), em Manaus: reajuste salarial imediato de 5,67%, outro reajuste de salário em mais 4,33% para janeiro de 2015 e aumento do vale alimentação.

A maioria dos professores, divididos em movimentos independentes, desaprovou a mudança de 5,67% no salário. O governador do Amazonas, José Melo, havia prometido reajuste de 10% nos salários após protestos na semana passada. A reivindicação inicial da categoria era reajuste imediato nos salários em 20%.

A votação dos três projetos começaria às 10h, mas teve de ser adiada para horas depois por conta dos ânimos entre os professores e deputados. A galeria superior do plenário da ALE-AM estava lotada e muitos profissionais foram impedidos de entrar na Casa Legislativa. Houve confusão e bate-boca entre professores e um forte contingente de policiais militares, que faziam a segurança do local.

O reajuste de 5,67% é imediato e vai vigorar a partir do próximo salário. Já o reajuste de 4,33% vai valer em janeiro de 2015, quando houver um novo governador - há receio por parte dos professores de que o aumento não saia do papel. O vale alimentação, com valor ainda a ser determinado pelo Governo, pela primeira vez garantirá ajuda de custo na alimentação dos profissionais.

Reunião grevista

A insatisfação dos professores quanto a aprovação dos três projetos gerou um indicativo de greve na categoria anunciado pela Associação dos Professores de Manaus (Assprom).

Na próxima semana, terça-feira (20), às 16h, na frente do estádio Arena da Amazônia, está marcada uma reunião entre os professores para decidir se haverá ou não paralisação.

‘Hora pedagógica’

Entre as ementas que entraram em votação nesta quinta (15), apenas a que tratava sobre a questão das horas de trabalho pedagógico (HTP) foi aprovada, ou seja, as horas a que o professor destina à elaboração e correção de provas, ao planejamento das aulas diárias, à preparação das aulas. Com a mudança, dois terços da carga horária será destinada ao HTP. 

*Com informações da repórter Janaína Andrade