Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Após 3 anos, Almir David é exonerado do comando geral da Polícia Militar do Amazonas

Quem assume a PM do Amazonas agora é o coronel Eliézio Ferreira, que terá o coronel Aroldo Ribeiro como subcomandante e Marcos César

Segundo comandante da PM, Almir David, policiamento será de 24 horas

Almir David comandava a Polícia Militar do Amazonas desde 2011 (Euzivaldo Queiroz )

O coronel Almir David foi exonerado na manhã desta quarta-feira (3) do Comando Geral da Polícia Militar do Amazonas. No lugar dele assume o coronel Eliézio Almeida da Silva, que terá como Subcomandante o coronel Aroldo Ribeiro - que até esta terça-feira (2) estava à frente do Comando de Policiamento Metropolitano (CPI) e é acusado de envolvimento no "Caso Fred" - , enquanto o coronel Marcos César será o Chefe do Estado Maior.

Almir David, que estava no cargo desde 2011, foi chamado por volta das 10h para ir até a sede do Governo e saiu de lá exonerado. Segundo a Agência de Comunicação do Amazonas (Agecom)Almir David assume um novo cargo como um conselheiro na área de segurança pública, "devido à experiência acumulada como comandante-geral".

O novo comandante-geral da PMAM, coronel Eliézio, informou que nos próximos dias estará definindo ajustes nos Comandos de Policiamento do Interior (CPI), Metropolitano (CPM) e Ambiental (CPAMB), além de diretorias da corporação.

“Sinto-me lisonjeado ao assumir a mais alta função dentro da Polícia Militar. Agradeço pela confiança dada a mim e aos novos comandantes, coronel Aroldo Ribeiro e coronel Marcos César. Procuraremos fazer o melhor para preservar a hierarquia da instituição e, ao mesmo tempo, prestar contas à sociedade, garantindo maior sensação de segurança”, disse.

Mudanças

Na semana passada, Almir David já demonstrava insatisfação e chegou a comentar com a reportagem de A CRÍTICA que estava "contando os dias para deixar o comando".  Em janeiro do próximo ano, ele deve ir para reserva. Na terça-feira, durante o velório do sargento José Cláudio Marques, o”Caju”, a insatisfação dos militares que estavam lá era notável.

A "dança das cadeiras" desta quarta na alta cúpula da PM ocorre dias depois de que dois comandantes pediram demissão de seus cargos. Na última sexta-feira (29), o comandante do Batalhão Ambiental, coronel Antônio Escóssio, entregou o cargo e, terça pela manhã, foi a vez do comandante do Comando de Policiamento Especial (CPE), Fabiano Bó. Há informações, ainda não confirmadas, que outros superiores também farão o mesmo nos próximos dias.