Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Preso enfermeiro acusado de estupros dentro de Posto de Saúde no Japiim

O enfermeiro fará exame de corpo de delito e será encaminhado à Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, onde aguardará decisão da Justiça

Ronaldo nega os crimes apesar de ter sido reconhecido pelas vítimas

Ronaldo nega os crimes apesar de ter sido reconhecido pelas vítimas (Winnetou Almeida)

Policiais Civis do 3º Distrito Integrado de Polícia (DIP) prenderam por volta das 14h30 desta terça feira (14) dentro do Posto de Saúde Lourenço Borges, no Japiim, Zona Sul, o enfermeiro Ronaldo Augusto Ferreira de Souza, 42 anos de idade.

O funcionário público é acusado de ter estuprado uma menor de 14 anos, no dia 18 de novembro de 2013, tendo tido relações com a mesma dentro da UBS do Posto de Saúde Lourenço Borges, no Bairro Japiim.

A menor contou em depoimento que o enfermeiro não deixou a sua mãe entrar no consultório para acompanhá-la, e que lá dentro foi dopada pelo mesmo, tendo sido obrigada a manter relações sexuais com ele.

No dia 30 de dezembro de 2013, outra vítima procurou o 3º DIP e disse que o enfermeiro Ronaldo Augusto trancou a porta do consultório médico e usando de violência obrigou a mesma a tirar a sua roupa, pegou em suas partes intimas e só não consumou o ato por que no momento da penetração, alguém bateu na porta, assustando-o.

A vítima de 20 anos afirmou em depoimento que Ronaldo lhe ameaçou, dizendo que se ela contasse pra alguém o que tinha acontecido, iria sofrer conseqüências graves.


As vítimas fizeram o reconhecimento do acusado através de fotos, e o Dr. Guilherme Antoniazzi, Delegado do 3º DIP, representou pela prisão preventiva do acusado, assinada pelo juiz de Direito da 10ª Vara Criminal de Manaus, Genesino Braga Neto.

Periculosidade

Em sua decisão, o magistrado ressalta que o acusado denota a sua periculosidade, uma vez que ele utiliza-se do seu ambiente de trabalho para a prática de atos ilícitos, como também pratica o crime de exercício ilegal da enfermagem, pois a sua conduta recomenda o afastamento provisório do convívio social, como garantia da ordem pública, afirma o juiz.

O enfermeiro Ronaldo Augusto Ferreira de Souza negou em depoimento que tenha praticado o estupro, mas as vítimas compareceram até a delegacia e fizeram o reconhecimento pessoal do acusado, confirmando o que disseram nos depoimentos.