Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Eduardo Braga sobe o tom e parte para o ataque

O ex-governador Eduardo Braga (PMDB) fez comparações entre o governo dele, o de Omar Aziz (PSD) o atual, de José Melo (Pros), e pediu atenção ao povo de Manacapuru na hora de votar nas eleições de outubro


O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) faz sua convenção estadual no município de Manacapuru. O evento contou com a participação do Senador Eduardo Braga e vários políticos locais

O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) faz sua convenção estadual no município de Manacapuru. O evento contou com a participação do Senador Eduardo Braga e vários políticos locais (J. Renato Queiroz)

O senador Eduardo Braga (PMDB) subiu o tom do discurso de candidato, no sábado (12), em Manacapuru (a 84 quilômetros de Manaus), pediu votos e partiu para o ataque contra o Governo do Amazonas, hoje comandado pelo principal adversário dele nas eleições deste ano, José Melo (Pros).

Para uma plateia de, aproximadamente, 300 pessoas, o ex-governador fez comparações entre os governos dele e o de Omar Aziz (PSD) e Melo. E no leque de críticas aos dois, o senador creditou ao governo a culpa por ter sido arquivado em Brasília o projeto de lei que estendia os incentivos fiscais da Zona Franca de Manaus (ZFM) para os municípios da Região Metropolitana, entre eles, Manacapuru.

“Quem quer que a Zona Franca venha para Manacapuru? Você quer, meu amor? Presta bem atenção com o que você vai fazer com seu voto nessa eleição. Porque eu não vi o Governo do Estado, lá em Brasília, brigando e apoiando para trazer a Zona Franca aqui para Manacapuru. Comeram abiu, ficaram calados”, disse Eduardo Braga.

Gás natural

O senador afirmou que desde que deixou o Governo do Amazonas, em 2010, nada foi feito para que a população de Manacapuru tivesse acesso ao gás natural oriundo do gasoduto Coari-Manaus. “Fizemos o gasoduto. Tem um citigate passando aqui perto de Manacapuru. Quatro anos faz que eu saí do governo. Algum de vocês já viu alguma coisa feita depois que eu saí para que o gás natural chegasse a Manacapuru? Não fizeram nada. Se Deus me der a chance e se o povo de Manacapuru me der a oportunidade, volto para o governo para concluir a luta que eu fiz por Manacapuru”, disparou Braga.

Hospital

A não construção de um novo hospital no município também serviu de mote para o ataque de Braga contra o governo. “Manacapuru precisa ou não de um novo hospital? Vocês querem saber de uma coisa? Tem três anos que a presidenta Dilma (Rousseff, PT), a meu pedido, depositou, nada mais nada menos do que R$ 17 milhões na conta da Susam, e depois de três anos não tem um tijolo do novo hospital aqui de Manacapuru. Nem o contrato assinaram”, afirmou o senador.

Terceiro maior colégio eleitoral do interior, Manacapuru é governado atualmente por Jaziel Nunes de Alencar, o Tororó, filiado ao Pros de José Melo. Tororó assumiu a prefeitura depois que Washington Régis, do PMDB, renunciou ao mandato por conta de um problema de saúde.

Realizado no Clube de Cabos e Soldados, no bairro Policarpo de Souza, o evento do PMDB de Manacapuru reuniu filiados da legenda e pessoas comuns que foram ao longo da semana convidadas a participarem do encontro e contribuírem com o plano de governo da sigla.

“Foi assim que surgiu o Zona Franca Verde, assim que surgiu o Bolsa Floresta, assim surgiu a escola de tempo integral, o projeto Jovem Cidadão. Muito das coisas que nós fizemos no governo surgiram assim, de forma participativa, o PMDB é um partido participativo. Disso tudo vai sair um programa do PMDB para fazer alianças. Porque não queremos fazer alianças por acordo político. Queremos fazer aliança por um projeto de governo”, declarou Braga a A CRÍTICA, no final do evento.