Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Homem mata cunhado e fere gravemente a própria irmã

Testemunhas contaram ainda que  Luan chutou a própria esposa. Ele ameaçou matar toda a família e disse que depois pretendia cometer suicídio. Ele está sendo procurado pela polícia civil da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS)

IML faz a remoção dos embriões neste domingo (24)

IML faz a remoção do corpo (Reprodução)

A polícia civil está no encalço do ajudante de caminhoneiro Luan Wallisson Araújo, 23, vulgo "Bolinha", que matou a facadas seu cunhado, o soldador Ismael Nunes Bastos, 22, e ainda tentou matar a própria irmã, Alessandra Soliane Nunes de Souza, 30. O crime aconteceu na madrugada deste sábado (15) e assustou os moradores da rua T, conjunto Parque Eduardo Braga, Zona Norte.

Segundo testemunhas, o crime aconteceu por volta de 5h, no interior da casa onde a vítima e o acusado moravam, localizada em um beco no final da rua. Luan chegou a casa ao amanhecer do dia, embriagado e drogado, e queria dormir na mesma cama com sua mulher Ediane Silva Costa, 18, que se negou a aceitar o marido devido ao seu estado de embriaguez.

O suspeito passou a espancar a mulher, que no momento estava amamentando o filho do casal. A mãe de Luan, a dona de casa Solange Silva Nunes, 50, gritou pelo genro Ismael e este, quando entrou no quarto do casal, foi atacado por Luan, que lhe deu duas facadas, uma no pescoço e outra no peito.

Alessandra Soliane, mulher de Ismael, interveio tentando conter o irmão e acabou sendo esfaqueada por ele com várias golpes pelo corpo. Ela foi socorrida por vizinhos que a levaram para o Hospital Pronto Socorro Dr. João Lúcio, na Zona Leste. De acordo com os familiares, ela foi submetida a uma cirurgia e o estado de saúde dela é grave. Ismael morreu na hora.

Investigadores da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) já trabalham no caso e estão à procura do acusado.