Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Candidatos ao Governo do Amazonas saem à caça do eleitorado com propagandas

Campanha que definirá quem irá comandar o Amazonas inicia oficialmente neste domingo (6), com a liberação da propaganda eleitoral

Os sete candidatos que concorrem ao Governo do Estado fazem os ajustes finais para colocar na rua, na capital e no interior, suas campanhas eleitorais. A meta é seduzir os corações e as mentes de um contingente de  2.225.703 eleitores e eleitoras

Os sete candidatos que concorrem ao Governo do Estado fazem os ajustes finais para colocar na rua, na capital e no interior, suas campanhas eleitorais. A meta é seduzir os corações e as mentes de um contingente de 2.225.703 eleitores e eleitoras (Arte)

Liberados pela Justiça para pedir votos a partir deste domingo (6), data em que inicia oficialmente a campanha eleitoral, os sete candidatos ao Governo do Amazonas fecham detalhes de suas candidaturas para largarem com todas suas armas na corrida que vai definir quem vai administrar um orçamento estimado em R$ 18 bilhões em 2015.

Estreiante na disputa, o deputado estadual Marcelo Ramos (PSB) disse que só colocará seu time na rua quanto fechar todos os detalhes com a Justiça Eleitoral, como a obtenção do CNPJ. “A partir do momento que nós tenhamos o CNPJ, vamos ter algum material gráfico e iniciar as atividades de rua, adesivagens e caminhadas”, disse.

O candidato do PSB diz que fará uma campanha para o eleitor do Século 21. Por isso, não fará uso de ações que considera ultrapassadas, como comícios.

“Os últimos (comícios) que vi não tinham um que a plateia não fosse formada só por cabos eleitorais da campanha. No comício o político só fala. Não ouve nada. Ninguém é contraditado. Vamos privilegiar espaços de diálogos. Vamos fazer uma campanha do século 21 para pessoas do século 21, para construir um governo do século 21”, declarou Ramos.

Novato também na lista de candidatos ao governo, o ex-deputado estadual Abel Alves, do Psol, informou que se dedica em discutir com os demais candidatos da sigla a divisão do tempo (1 minuto) que eles terão na propaganda eleitoral na TV e no rádio.

“Depois vamos começar nosso trabalho aqui, por Manaus, e municípios da Região Metropolitana, onde podemos ir de carro. E programando depois, também, viagens a calhas dos rios, no baixo Amazonas”, comentou Abel.

Segundo o ex-deputado, o material que o Psol vai veicular na TV e no rádio não será produzido por grandes produtoras. Mas será de boa qualidade.

“Não temos pretensão e nem condições de contratar empresas de marketing, grandes estúdios. Vamos fazer a coisa mesmo artesanal. Com a ajuda de pessoas amigas. Mas tudo com qualidade”, disse o candidato do Partido Socialismo Liberdade.

Dos sete candidatos ao governo, Abel foi o único que confirmou compromisso de campanha para hoje. Segundo o ex-deputado, ele estará hoje em Itacoatiara (a 170 quilômetros de Manaus). No município, ele disse que irá se reunir com partidários da sigla.

Braga fará campanha colaborativa

Candidato ao terceiro mandato de governador, o senador e ex-governador Eduardo Braga (PMDB) está com Quartel General (QG) montado para trabalhar sua imagem junto ao eleitorado do Estado na TV, rádio e Internet. Mas não tem agenda de campanha divulgada para esta semana.

Os coordenadores de comunicação e de jornalismo da campanha de Braga, Caca Colonesi e Rodrigo Araújo, respectivamente, dizem que o senador fará uma campanha “colaborativa”, dando voz aos eleitores do Estado.

“Antes da convenção do dia 30 de junho, o senador fez uma série de encontros partidários, e, pela primeira vez, se abriu a palavra para quem quisesse falar. Foi uma coisa aberta, democrática. A campanha terá esse sentido”, disse Caca Colonesi.

“Em alguns municípios, as pessoas elogiaram a iniciativa, e disseram que nunca um político tinha ido lá e dado voz para elas. Isso foi uma reação muito positiva”, acrescentou o jornalista Rodrigo Araújo.

Para Caca Colonesi, a campanha vai refletir a essência do pensamento de Braga. “Interagir, ouvindo as pessoas. Ouvir e respeitar é o eixo da campanha. Essa campanha quer ouvir e respeitar as pessoas. Vamos trabalhar nesse sentido”, afirmou Caca.

Candidato depois das 18h

Candidato à reeleição, o governador José Melo, do Pros, informou, por meio de sua assessoria, que fará campanha somente após as 18h. Até esse horário, ele se dedicará às obrigações de governador.

A exemplo dos demais candidatos, a assessoria informou que Melo ainda não definiu suas atividades para esse início de campanha.

Por causa da legislação eleitoral, desde sábado o governador não poderá mais participar de inauguração de obras. O descumprimento da norma é considerado crime eleitoral, que pode resultar na cassação do diploma e perda do mandato, caso seja eleito.

Na quinta-feira, Melo reinaugurou o Parque Estadual Sumaúma e o Estádio da Colina, em Manaus. Na sexta-feira, um dia antes do prazo limite para participar desse tipo de evento, ele entregou o Centro de Covenções do Amazonas, também na capital.

 A Lei das Eleições (lei 9.504/97) especifica que “é proibido a qualquer candidato comparecer, nos três meses que precedem o pleito, a inaugurações de obras públicas”.

Desde abril, quando assumiu o cargo de governador, após a renúncia de Omar Aziz (PSD), até o dia 2 desse mês, Melo tinha participado de 24 inaugurações.

Melo assumiu o governo no dia 4 de abril. O governador eleito, Omar Aziz, deixou o cargo para poder se candidatar a uma vaga no Senado.

Luiz Navarro (PCB)

 “Ainda não definimos nossas atividades de campanha. Estamos discutindo com uma gravadora a nossa propaganda na TV. Quem não tem recurso está buscando alguma forma de fazer sua campanha de maneira que não seja tão onerosa. Talvez usemos carros de som, reuniões, comícios. Para nós, que não temos recursos, vai ser uma campanha como as anteriores. Nossa campanha é no sentido de despertar a consciência do trabalhador para lutar pela sua posição ao sol. Nosso objetivo é mostrar que somos um candidato diferente dos que aí estão. Tem candidato aí disputando quem melhor administra o capital, o dinheiro público. Nós somos o único diferente. A nossa proposta é construir o poder popular para caminharmos para o socialismo. Nossa campanha é no sentido de despertar a consciência do trabalhador para lutar pela sua posição ao sol. Eu, desde que me entendi como gente, que ouço: ‘vamos fazer o bolo crescer para depois distribuir’. Nunca vi essa distribuição acontecer”

Chico Preto (PMN)

“Em função das providências  que fazem parte do processo, como documentos, arte de campanha, que fazem parte da nossa primeira agenda, nossa campanha de rua começa mesmo só após o término da Copa do Mundo, e de maneira crescente. Desde que não prejudica minha atividade parlamentar, pretendo fazer viagens ao interior. O partido tem diretórios instalados no interior, que serão nossos braços onde não pudermos ir. Nossos apoiadores em outras cidades serão acionados. Teremos nossa campanha nos meios eletrônicos. E a própria campanha TV vai impulsionar nossa caminhada”.

PSTU

Último candidato a confirmar seu nome na disputa pelo Governo do Amazonas, Herbert Amazonas disse que ainda busca se afastar do trabalho, para depois pensar na campanha. O candidato do PSTU é funcionário dos Correios. “Esse final de semana a gente não vai sair ainda. Porque a maioria da gente trabalha. Precisa se desincompatibilizar do trabalho. Essa semana estamos cuidando desses detalhes. Diferente das outras candidaturas, que têm um batalhão de profissionais para cuidar disso”, disse.