Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Estelionatário que vendia diplomas falsificados é preso pela polícia

Lúcio Rocha do Nascimento chegava a faturar cerca de R$ 5 mil por mês com a venda dos diplomas falsificados

A polícia apreendeu computadores e impressoras na casa de Lúcio, que eram usadas pelo golpista na confecção dos diplomas

A polícia apreendeu computadores e impressoras na casa de Lúcio, que eram usadas pelo golpista na confecção dos diplomas (Evandro Seixas)

Após publicação da matéria entitulada “Diplomas falsos à venda na internet”, na edição de quarta feira (15) leitores de ACRITICA ligaram para o 3º Distrito Integrado de Polícia (Dip), denunciando a comercialização e confecção de certificados no bairro de Petrópolis, Zona Sul da Cidade.

Investigadores do 3º Dip se deslocaram na manhã desta sexta-feira (17) a Rua Antônio Passos de Miranda em Petrópolis e no local, onde funciona uma assistência técnica e manutenção de computadores, encontraram o técnico em eletrônica, Lúcio Rocha do Nascimento, 50.

No local os investigadores encontraram dois certificados de conclusão do ensino médio em nome de Edcley Pereira Maia, 26 e Gilson Alves de Almeida, 21, juntamente com os respectivos documentos de identidade originais dos mesmos.

“Após a divulgação da matéria, algumas pessoas ligaram e informaram que nesse endereço havia uma pessoa que oferecia tal serviço. Quando chegamos no local encontramos esses documentos impressos e mais um pen drive com várias molduras de certificados”, informou o investigador Dennys Cardoso.

Dennys disse também que os certificados eram vendidos por até R$ 100 e que Nascimento lucrava aproximadamente R$ 5 mil por mês, somente com o negócio ilegal.

Os certificados encontrados com o acusado eram da Escola Estadual Tiradentes, localizada no mesmo bairro e no pen drive, também existiam certificados da Escola Estadual Márcio Nery, em São Francisco, ambos com assinaturas falsificadas dos diretores.

Em seu depoimento da delegacia, Nascimento informou que uma pessoa desconhecida deixou o pen drive com ele, para que realizasse a impressão dos documentos e negou ser falsificador.

Segundo a polícia, Edcley e Gilson serão chamados a delegacia para prestar esclarecimentos sobre os documentos pessoais que foram encontrados com o estelionatário.

O delegado Guilherme Antoniazzi informou que Nascimento foi autuado em flagrante por estelionato e uso de documento falso e deverá ser encaminhado hoje à Cadeia Pública e que o caso poderá ser encaminhado a Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD).

Ano passado a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) recebeu 338 certificados de escolaridade para ser validados e desses, 56 foram identificados como falsos. Os documentos são enviados por empresas e pelas polícias.