Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Corpos encontrados em ramais da Zona Rural de Manaus

O Instituto Médico Legal (IML) recolheu dois cadáveres em ramais da Zona Rural da capital: um no km 22 do Pau Rosa e outro no km 4 do Brasileirinho

Apenas identificado como 'Paulo', o morador foi achado morto pela manhã e reconhecido por vizinhos, já que não possuía documentos

Apenas identificado como 'Paulo', o morador foi achado morto pela manhã e reconhecido por vizinhos, já que não possuía documentos (Divulgação)

O Instituto Médico Legal (IML) recolheu dois corpos em ramais por estradas de Manaus na manhã desta sexta-feira (28). Um homem identificado apenas como Paulo foi encontrado com marcas de tiro no pescoço no Km 22 do ramal do Pau Rosa, que fica no Km 21 da rodovia federal BR-174 (Manaus-Boa Vista).

Paulo estava sem documentação e foi identificado por pessoas da área apenas pelo primeiro nome. O tiro que o matou entrou pelo pescoço e saiu pela face. Paulo morava em um sítio dentro do ramal e ao lado do corpo foi encontrada uma espingarda de calibre 20 e uma mochila que continha uma garrafa de bebida alcóolica.

Como nenhum pertence pessoal de Paulo foi roubado, a polícia suspeita em morte acidental, mas as causas reais serão apuradas pelo 20º Distrito Integrado de Polícia. Segundo funcionários do IML, Paulo pode ter morrido às 22h de quinta-feira (27) devido a rigidez do corpo, porém nenhum morador ouviu disparos de arma de fogo por esse horário.

Brasileirinho

Outra morte por arma de fogo aconteceu no Km 4 do ramal do Brasileirinho, que fica na Zona Rural da cidade, próximo ao bairro João Paulo, na Zona Leste. O corpo do dono de bar Lewis Charley Benton, 64, estava caído atrás da porta da casa dele, que também funciona como um bar, e com uma marca de tiro de arma de fogo no peito.

Segundo moradores, um amigo da vítima conhecido como “Negão” encontrou o corpo por volta das 6h da manhã quando ia entregar o pão para o café-da-manhã de Lewis. Além da marca de tiro, havia uma barra de ferro embaixo do corpo de Lewis, que vestia apenas uma cueca. “Negão” ficou assustado e chamou os vizinhos.

“Eles quebraram duas lâmpadas aqui. Mas roubo não pode ter sido. Roubaram só essa fileira de cerveja, mas o freezer está cheio. Se fosse ladrão, teria levado tudo aqui, que ainda têm cigarro e outros produtos”, informou Helena Sulina, 44, vizinha de Lewis. Ela não acredita em latrocínio, roubo seguido de morte, e disse que ninguém ouviu barulhos de disparo de arma à noite.

“Ele não bebia (álcool), só vendia, mas já bebeu muito. Ele tinha uma doença na perna, que dificultava ele a andar. Ele tinha ex-mulher e alguns filhos, mas nunca soubemos mais nada dele. Inclusive ele já foi caseiro de algumas propriedades aqui, aí o vizinho aqui deu esse terreno para ele e todos demos tábuas e telhas para ele construir esse casebre”, disse Helena.

A morte de Lewis será investigada pela DelegaciaEspecializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).