Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Superlotação de veículos em parque do Detran-AM acumula fortuna em dívidas, em Manaus

Proprietários abandonaram mais de 2,4 mil veículos apreendidos pelo Departamento Estadual de Trânsito, deixando de pagar uma dívida milionária em impostos

Mais de mil motocicletas com algum tipo de irregularidade foram apreendidas pelo Detran e estão nos parqueamentos, muitas vezes empilhadas, à espera dos donos

Mais de mil motocicletas com algum tipo de irregularidade foram apreendidas pelo Detran e estão nos parqueamentos, muitas vezes empilhadas, à espera dos donos (Evandro Seixas)

O cemitério de carros e motos do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) acumula verdadeira fortuna em dívidas por parte dos proprietários dos veículos. Somados, multas e aluguel do parqueamento, custam muito mais que o preço de mercado dos veículos.

Para se ter ideia, o proprietário de um Corcel, modelo que saiu de linha há 28 anos (em 1986) e está abandonado no parqueamento do Detran-AM há 15 anos, gastaria R$ 60.225 só em diárias por ocupar o espaço público por tanto tempo. O valor é quase o preço de dois carros populares com quilometragem zero.

A dívida acumulada e o baixo valor de mercado dos automóveis, a maioria sem nenhuma condição de circulação, são as principais causas da superlotação de dois parqueamentos localizados em área nobre da cidade, zona Centro-Sul de Manaus, por 1.420 carros e 1.000 motocicletas no Detran-AM. De tão velhos, os veículos são abrigados num local que os funcionários convencionaram chamar de “cemitério de carros e motos”.

“É um verdadeiro cemitério, mas os carros têm donos. O veículo não é nosso. O Estado é apenas fiel depositário. Já notificamos os donos e eles não aparecem”, declarou o diretor-presidente do Detran-AM, Leonel Feitoza.

O Detran-AM cobra R$ 11 para cada dia que o parqueamento do órgão é ocupado. Além disso, para retirar o veículo, o proprietário é obrigado a  pagar as multas de trânsito e os impostos em atraso referentes aos automóveis. Embora estejam no parqueamento, os carros e motocicletas sequer tiveram baixa nos sistema. “Muitos não pagam mais nem IPVA porque são antigos demais, mas outros pagam. O dono não vem porque não compensa mesmo. Fica aí. Toma espaço e tudo mais”, disse o diretor-presidente do órgão.

Por causa da legislação, a direção do Detran-AM pouco pode fazer em relação aos veículos abandonados pelos proprietários. “Não podemos mexer e nem tirar nenhum desses veículos daqui. Alguns têm pendências de Justiça. Embora a gente saiba que o dono nunca virá atrás, a legislação nos impede de qualquer ação para nos desfazermos dos veículos”, justificou Feitoza.

Entulhados

O cemitério de carros está tão lotado que o espaço horizontal é insuficiente para guardar todos os veículos. A solução foi colocá-los uns por cima dos outros. E, no cemitério de motos, os veículos abandonados pelos proprietários ficam pelo lado de fora. Em meio às motocicletas, há todos os tipos de marcas. Desde as mais baratas até modelos que estão entre os mais caros do mercado como Shadow. 

São 2.420 carros e motocicletas   existem em dois parqueamentos do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) localizados em área nobre da cidade, na zona Centro-Sul de Manaus. A dívida acumulada é o principal motivo do ‘abandono’.