Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Amazonino Mendes: ‘Não queremos um menino de recado’

Declaração foi dada pelo ex-prefeito ao justificar porque escolheu marchar ao lado do senador Eduardo Braga nestas eleições. Também sobraram críticas para a atual gestão

Durante evento no Dulcilas, Amazonino afirmou que decidiu ficar ao lado de Braga pela afinidade política entre os dois e pelo fato do senador ter prestígio no Congresso

Durante evento no Dulcilas, Amazonino afirmou que decidiu ficar ao lado de Braga pela afinidade política entre os dois e pelo fato do senador ter prestígio no Congresso (Euzivaldo Queiroz)

Após muitos mistérios e especulações, o ex-governador Amazonino Mendes (PDT) anunciou ontem apoio à pré-candidatura do senador Eduardo Braga (PMDB) ao Governo do Estado. Cotado para ser candidato a deputado estadual ou senador, Amazonino não confirmou se concorrerá a um cargo eletivo no pleito de outubro. Sem citar os nomes dos sucessores de Braga no governo, Omar Aziz (PSD) e José Melo (Pros), o ex-governador disse que o Estado precisa ser governado por “um homem qualificado”.

“Nós queremos uma inteligência, uma cabeça. Um homem capaz, qualificado. Nós não queremos no governo nenhum menino de recado. Nós queremos aquele que dá o recado”, disparou Amazonino. “O Amazonas não deve e não pode ser peça de motim. O Amazonas não pode ser prêmio de mesa de jogo”, declarou o ex-governador.

Braga, por sua vez, lembrou que começou sua trajetória política ao lado de Amazonino e que na relação entre eles, apesar das divergências e rupturas, nunca houve “punhaladas”. “Depois, divergimos em algumas ideias. Debatemos e ao invés de ficar dentro conspirando, enganando, fazendo coisas para dividir, eu saí pela porta da frente”, afirmou. “Alguns vão me dizer: mas, Eduardo você pediu votos para ele. Pedi, mas para eles fazerem aquilo que tinham se comprometido”, completou.

Amazonino lembrou que teve “brigas ferozes” com Braga, por conta da personalidade dos dois. Já Braga fez um retrospecto da carreira de Amazonino Mendes, lembrando que ele, assim como a presidente Dilma Rousseff (PT), foi preso pela ditadura militar. O senador disse que a experiência do aliado vai contribuir para a construção do programa de governo da sua candidatura.

Como um dos pontos que justificou a escolha por Braga após “fratricídio” do grupo político, o ex-governador disse que pesou na sua decisão o fato do senador ter se tornado líder do Governo no Senado, além das afinidades políticas. “Ele traz (do Senado) um acúmulo de experiência diferenciada”, frisou. “O nosso relacionamento, meu com o Eduardo, não diz respeito a favorecimentos pessoais”, pontuou.

O ex-governador afirmou que, há pelo menos um ano, vem conversando com Braga sobre a aliança, mas disse que as conversas se intensificaram nos últimos três meses. O anúncio na manhã de ontem lotou o auditório do Dulcilas Conveções, na Ponta Negra. Além do PDT, outros cinco partidos anunciaram apoio à candidatura do PMDB.

Procurado para comentar as declarações de Amazonino, Omar Aziz respondeu que “todo mundo sabe que quem gosta de jogo é o Amazonino”. “Todo mundo sabe que o Amazonino passou os quatro anos da administração dele na prefeitura sentado na mesa de dominó”, disse Omar.

Adesões inflam tempo na TV

Ontem, outras cinco siglas, além do Partido Democrático Trabalhista (PDT) de Amazonino, anunciaram aliança com Braga. São elas: Partido Social Democrata Cristão (PSDC), Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), Partido Trabalhista Cristão (PTC), Partido Ecológico Nacional (PEN) e Partido Pátria Livre (PPL). Até agora, a aliança do senador peemedebista contabiliza 11 partidos e oito minutos na campanha de TV.

Já declaram apoio a Braga o Partido dos Trabalhadores (PT), o Partido Comunista do Brasil (PCdoB), o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), de Sabino Castelo Branco, e o Partido Republicano Brasileiro (PRB), ligado à Igreja Universal. Eduardo Braga afirmou que mantém conversas com o Partido da República (PR), do senador Alfredo Nascimento, mas ressaltou que até agora não há nada acertado.

Três blocos para deputado

A reportagem de A CRÍTICA apurou que a aliança partidária capitaneada pelo PMDB terá pelo menos três coligações para os cargos de deputado estadual. Uma com os grandes partidos, outra com os partidos intermediários e uma só com os nanicos.

O presidente estadual do PDT, Stones Machado, disse que a aliança entre Eduardo Braga e Amazonino Mendes é uma aliança de experiência. “Com eles, não temos mais como experimentar, não temos mais chances de errar”, disse.

Braga disse que o apoio de Amazonino e dos outros partidos representa a soma de forças entre a experiência e a recilagem das ideias. O presidente estadual do PSDC, Cícero Lima, disse que a escolha por Braga se deu pela “garra e competência” do senador e por sua luta pela a habitação popular.

Após clausura, vice-prefeito promove debate na Câmara

O vice-prefeito de Manaus e pré candidato a governador, Hissa Abraão (PPS - foto) também se movimenta para se manter nos holofotes. A exemplo de outros pré-candidatos, Hissa realiza hoje, a partir das 9h no plenário da Câmara Municipal de Manaus (CMM), um encontro partidário que pretende discutir “novas formas de fazer política”.

A situação de Hissa não é das mais confortáveis. Ele foi excluído pelo prefeito Artur Neto de uma possível aliança com o PSDB, após lançar pré-candidatura sem consultar o aliado e por insistir na pré-campanha contrariando a orientação do tucano, o que lhe rendeu a demissão pública do cargo de secretário de Infraestrutura.

Depois do anúncio da aliança nacional entre o PPS e o PSB, do presidenciável Eduardo Campos, Hissa articulou para ser o único palanque do socialista no Amazonas. No entanto, a executiva estadual do PSB decidiu por uma candidatura própria. O vice-prefeito recebeu o aval do presidente do PPS, Roberto Freire, para coligar com qualquer outro partido, mas até agora não conseguiu consolidar nenhum apoio.

Ontem, Eduardo Braga disse que tem conversado muito com Hissa Abraão, mas sem interesses eleitorais. “Entramos juntos no PPS”, recordou.

No debate de hoje, a ex-vereadora do PPS por São Paulo Soninha Francine será a convidada de honra. Soninha ficou conhecida depois de passagens como VJ na MTV e também como comentarista esportiva de canais fechados. Completando os ares de juventude no evento, a Juventude Popular Socialista (JPS), ala jovem do PPS, fará presença no encontro. “O Amazonas e o Brasil precisam tomar outras direções e este debate será marcado pelo princípio da renovação”, destacou Hissa.