Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Artur Neto é desafiado para campanha do ‘balde de gelo’ e mania começa a pegar no AM

Prefeito de Manaus já disse que aceita o desafio. Iniciativa é uma forma divertida de conscientizar a população sobre a esclerose lateral amiotrófica (ELA), doença que atinge mais de 12 mil pessoas no Brasil

O prefeito Artur Neto respondeu Christina Calderaro pela rede social Instagram, mesmo canal onde o desafio foi primeiramente lançado

O prefeito Artur Neto respondeu Christina Calderaro pela rede social Instagram, mesmo canal onde o desafio foi primeiramente lançado (Reprodução/Instagram)

O que era para ser uma brincadeira entre amigos virou uma mania global e uma forma inovadora de conscientização. O “desafio do balde de gelo”, criado pelo americano Corey Griffin para chamar a atenção para a esclerose lateral amiotrófica (ELA), doença que acometeu seu amigo Pete Frates (saiba mais abaixo), virou um fenômeno depois que empresários como Mark Zuckerberg e Bill Gates gravaram vídeos para apoiar a iniciativa.

Em Manaus, a moda começa a pegar, depois que a vice-presidente da Rede Calderaro de Comunicação (RCC), Christina Calderaro, desafiou o prefeito de Manaus, Artur Neto (PSDB), a aderir à iniciativa – e este não só topou, como está apenas aguardando a definição do local e horário da provação.

A brincadeira consiste na pessoa que aceitou o desafio receber um banho de água e gelo, contribuir com uma doação para instituições de pesquisa ou tratamento da doença – que atinge uma a cada 100 mil pessoas ao redor do mundo todos os anos (no Brasil, atualmente, há 12 mil diagnosticados) – e em seguida estender o desafio a alguém. Já aderiram à campanha personalidades como James Franco, Justin Timberlake, Ivete Sangalo e Neymar.


Neymar Jr. também participou do banho gelado

A princípio, a ideia seria doar o dinheiro justamente para escapar do famigerado balde. Mas a graça em ver dezenas de celebridades molhando os cabelos e as roupas, e soltando gritinhos ao mergulharem no gelo, tem um apelo irresistível, e logo a campanha se propagou pelas redes sociais com base nesse “espírito de zoeira”.

Personalidades locais na brincadeira

Sempre antenada, a TV A CRÍTICA já produziu cenas hilárias para agregar à galeria do desafio. Os apresentadores Wilson Martins, Nathália Nascimento e Fabíola Gadelha, além do humorista Guma, fizeram questão de participar, encarando a água fria com determinação e humor.

O lutador amazonense José Aldo, atual campeão dos pesos leves no Ultimate Fighting Championship (UFC) e radicado no Rio de Janeiro, divulgou recentemente nas redes sociais o comprovante de um depósito para a Associação Pró-Cura da ELA e prometeu divulgar seu vídeo do desafio em breve.

Governador candidato à reeleição no Amazonas, José Melo (Pros) também aderiu à febre na noite desta quinta-feira (21). O vídeo com o seu banho foi compartilhado na sua página dentro do Facebook, em resposta a um desafio da CDL Jovem Manaus.

Melo também aproveitou para chamar os companheiros de coligação Omar Aziz (PSD), Henrique Oliveira (SDD) e Josué Neto (PSD) para participar da brincadeira e prometeu, nos comentários da sua postagem, realizar o pagamento ao longo desta sexta-feira (22).


O governador José Melo prometeu fazer a doação ao longo desta sexta (22)

Pelo visto, é preciso muito mais do que água gelada para fazer esfriar o clima de solidariedade – ou, no mínimo, de bom humor – dessa campanha.

Iniciativa já arrecadou R$ 20 mil no Brasil

Desde a última sexta-feira (15), o desafio do balde de gelo tem mobilizado conquistado o apoio de artistas. O Instituto Paulo Gontijo (IPG), a Associação Pró-Cura da ELA e a Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica (Abrela) são as principais entidades engajadas na iniciativa.

Cada uma tem recebido doações por meio de uma conta específica e pretende direcionar os recursos para ações próprias. Até agora, contudo, o apoio dos famosos e os inúmeros vídeos, curtidas e compartilhamentos nas redes não resultaram em tantas doações.

Segundo a diretora do IPG, Sívia Tartorelli, até agora o instituto recebeu cerca de R$ 20 mil, recurso que deve ser destinado a projetos da entidade, como o manual interativo para pacientes e a disponibilização de computadores. Mas o número pode aumentar, pois o sistema de doações, que permite o uso de cartão de crédito ou boleto bancário, não faz o depósito imediatamente.

Mesmo assim, a quantia deve ficar distante dos U$ 30 milhões arrecadados este ano nos Estados Unidos, onde a população costuma fazer doações para organizações sociais, e mesmo das expectativas locais.

O desempenho financeiro, contudo, não frustrou os organizadores. “Eu tenho uma expectativa excelente em relação ao recebimento financeiro. E pode ser muito mais. As pessoas têm que procurar saber para o que estão doando, se engajar no projeto, participar da iniciativa, além de doar financeiramente”, diz a diretora do IPG.

Sílvia também comemora a visibilidade que os banhos de água fria conferiram a um problema muito grave. Embora menos conhecida do grande público do que outras patologias, como Parkinson e Alzheimer, esse tipo de esclerose é uma das principais doenças neurodegenerativas. O portador sofre com a degeneração do sistema motor, que pode causar rapidamente a paralisação total de atividades como andar, falar e até respirar.


Nos Estados Unidos, centenas de pessoas promoveram um flash mob em alusão à campanha

Segundo o Ministério da Saúde, a incidência da ELA na população varia de 0,6 a 2,6 pessoas a cada 100 mil habitantes. De acordo com a Portaria 496 do órgão, que define o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para tratamento da ELA, a idade é um dos fatores mais comuns para a ocorrência da doença, que atinge sobretudo pessoas com idade entre 55 e 75 anos.

A norma adverte que o processo degenerativo é muito rápido. Acredita-se que 80% dos neurônios motores já tenham sido perdidos quando aparece o primeiro sintoma. Por isso, a sobrevida média dos pacientes com ELA varia entre três e cinco anos, embora exceções existam, como o caso do cientista Stephen Hawking, que convive há mais de 50 anos com a doença.

Até agora, não há expectativa sobre a descoberta da cura da ELA. “Nós não vamos ter avanço científico para a cura, mas podemos ter um medicamento para estabilizar a doença”, explica Sílvia Tartorelli.

No Brasil, há pesquisadores buscando elucidar as causas da doença. O Centro de Pesquisa sobre o Genoma Humano e Células-Tronco, da Universidade de São Paulo, trabalha com esclerose lateral amiotrófica por meio de algumas linhas de pesquisa. Uma delas, seguida por Mitne-Neto em seu doutorado, busca identificar as causas da forma hereditária da ELA, que representa 10% do total, e possíveis relações com a ausência de determinada proteína, o que pode gerar novos tratamentos e antecipar o diagnóstico, se confirmada a hipótese.

Criador da campanha morre nos Estados Unidos

Uma triste ironia afetou os ânimos da campanha nesta semana. O criador do desafio, o americano Corey Griffin, de 27 anos, morreu afogado ao pular de um cais em Nantucket, no estado de Massachusetts, no último fim de semana. Corey criou a brincadeira como forma de chamar a atenção para a doença que atingiu seu amigo, o ex-jogador de futebol americano Pete Frates.

* Com informações da Agência Brasil.