Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Assembleia Legislativa do AM instala CPI da Pedofilia e marca primeira reunião para quinta (10)

A CPI tem como presidente o deputado Abdala Fraxe (PTN), como relator o deputado Orlando Cidade (PTN) e os membros são Ricardo Nicolau (PSD), Luis Castro (PPS) e Conceição Sampaio (PP)

deputado abdala fraxe

Abdala Fraxe presidirá a CPI, que inicia trabalhos nesta quinta (10) (Divulgação)

Após dias de discussão calorosa entre deputados estaduais, a Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) instalou nesta quarta (9) uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os crimes de exploração sexual contra crianças e adolescentes no Amazonas.

A CPI terá primeira reunião oficial nesta quinta (10), para decidir cronograma e primeiro passo das investigações. O presidente da Comissão é o deputado Abdala Fraxe (PTN), o relator é Orlando Cidade (PTN) e os membros são Ricardo Nicolau (PSD), Luis Castro (PPS) e Conceição Sampaio (PP).

A instalação ocorreu após de dois dias de debate sobre o assunto na ALE-AM e após uma reunião extraordinária, a portas fechadas, na manhã desta quarta-feira, com direito a discussões entre os 18 deputados presentes.

Na reunião, os suplentes da CPI também foram escolhidos: os deputados David Almeida (PSD), Tony Medeiros (PSL), José Ricardo (PT) e Vera Castelo Branco (PTB) integram esta lista.

Manifestantes

Militantes de diversos movimentos protestaram durante toda a manhã desta quarta e também ao longo da terça-feira (8) em frente à sede e na galeria da ALE-AM.

Os manifestantes empunhavam cartazes e gritavam palavras de ordem, cobrando a instalação da CPI e a escolha de deputados atuantes no combate a crimes de exploração sexual infantil para compor a Comissão.

Histórico

A instalação da CPI foi requerida pelo deputado Luiz Castro no dia  12 de fevereiro. O parlamentar pedia que casos de abuso sexual de crianças e adolescentes no Amazonas fossem apurados. Na época, um total de 23 deputados assinaram o requerimento.

Um mês depois, porém, os deputados decidiram que a CPI da Pedofilia ficaria para depois das eleições. Mas depois que denúncias veiculadas em horário nobre de rede nacional contra empresários e o deputado estadual Fausto Souza, a CPI voltou a ser colocada em discussão e, enfim, foi instaurada.

O pedido de cassação de mandato do deputado Fausto Souza (PSD), um dos 20 réus de uma ação penal no Tribunal de Justiça do Amazonas que julga a participação de políticos e autoridades em uma rede de exploração sexual no Estado, deverá ser analisado pela Procuradoria da ALE-AM ainda nesta quarta.

A cassação de Fausto Souza foi pedida pelo Instituto Amazônico de Cidadania (Iaci) na terça (8). A ação penal sobre a rede de pedofilia foi originada da operação Estocolmo, deflagrada em 2012 pela Polícia Civil do Amazonas e que teve repercussão nacional.