Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Campanha municipal de vacinação contra o HPV até o dia 10 de abril

Semsa prorrogou o período de vacinação. Apenas 45,5% das 49.912 meninas entre 11 e 13 anos que são meta da campanha tomaram a dose da vacina

Meninas de 11 a 13 anos são alvos da campanha contra o HPV

Meninas de 11 a 13 anos são alvos da campanha contra o HPV (Divulgação/ Semcom)

A Prefeitura de Manaus prorrogou a Campanha de Vacinação contra o HPV até o dia 10 de abril para chegar a 100% da meta de proteger contra o Papiloma Vírus Humano as 49.912 meninas de 11 a 13 anos com a terceira dose da vacina. A campanha é realizada por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e também continuará vacinando as adolescentes com a primeira dose da vacina quadrivalente, oferecida pelo Ministério da Saúde. 

A chefe de Imunização da Semsa, Isabel Hernandes, explicou que a terceira dose do HPV alcançou apenas 45,5%, ou seja, vacinou somente 22.708 da meta de 49.912 adolescentes. Já em relação à primeira dose da vacina do Ministério da Saúde, 7.705 meninas foram protegidas contra o HPV, da meta estimada de 12 mil meninas nascida nos anos de 2000, 2001 e 2002. 

“Fomos a todas as escolas, mas não conseguimos proteger contra o HPV todas as meninas nem com a última dose da campanha municipal e nem com a primeira dose oferecida pelo Ministério da Saúde. Devido às fortes chuvas, muitas adolescentes faltaram às aulas. Vamos retornar às escolas onde tivemos baixa cobertura”, afirmou Isabel Hernandes. 

Essa terceira etapa e a primeira nacional da campanha começaram no dia 10 de março, em um esforço concentrado da Prefeitura de Manaus, Governo do Estado e Ministério da Saúde. O secretário municipal de Saúde, Evandro Melo, explica que o Ministério da Saúde, seguindo o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) determinou que não fosse necessária a autorização dos pais para que as meninas sejam vacinadas. 

“No ano passado, o Governo do Estado e a Prefeitura de Manaus iniciaram de forma pioneira a vacinação contra o HPV no Amazonas. Na ocasião foi solicitada a autorização por escrito dos pais das meninas de 11, 12 e 13 anos. Com a opção do Ministério da Saúde por não exigir a autorização para a primeira dose da campanha nacional, os pais têm que tomar a iniciativa de procurar as escolas para assinarem o termo de recusa caso não queiram que a filha seja vacinada”, explicou Evandro Melo. 

Como o município de Manaus começou o esquema vacinal de 49.912 meninas de 11, 12 e 13 anos ainda em 2013, a campanha nacional teve a proposta de atingir apenas as meninas que no ano passado não estavam dentro da faixa-etária para a campanha promovida pela Prefeitura de Manaus e pelo Governo do Amazonas. A estratégia de vacinação está sendo a mesma do ano passado com a disponibilização da vacina em 695 escolas (estaduais, municipais e particulares) que trabalham com meninas na faixa-etária exigida. 

As 49.912 meninas que tomaram a primeira e segunda dose da vacina contra o HPV, na campanha municipal que começou no ano passado, precisam completar o esquema vacinal nesta terceira etapa de vacinação. “Caso a adolescente tenha perdido a vacina no dia em que a equipe de vacinadores da Semsa esteve na escola, precisa se imunizar quando a equipe retornar à escola”, disse Isabel. 

A vacina disponibilizada pelo Ministério da Saúde, que deveria atingir uma população estimada em torno de 12 mil meninas, também exige a aplicação de três doses, sendo que a segunda dose acontecerá em setembro de 2014 e a terceira dose depois de cinco anos, em março de 2019. “O HPV é responsável por 96% dos casos de câncer de colo de útero, o tipo de câncer que mais mata no Amazonas, estado que registra cerca de 200 óbitos de mulheres por ano devido à doença. Isso mostra a importância da vacina na prevenção à doença e alerta pais e adolescentes para a importância de não perderem nenhuma das doses da vacina”,ressaltou Evandro Melo.

*Com informações da assessoria