Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Candidatos disputam horário eleitoral na TV

Pleiteantes ao cargo de governador travam uma guerra nos bastidores para assegurar, a partir de alianças, tempo de propaganda

Candidatos fazem alianças por mais tempo de exposição na televisão

Candidatos fazem alianças por mais tempo de exposição na televisão (Heli Mascarenhas)

Dois fatores que podem contribuir na vitória de uma eleição majoritária estão sendo disputados "a tapa" pelos principais pré-candidatos ao Governo do Amazonas: o apoio dos partidos políticos e seus respectivos tempos no rádio e na TV. Os dois principais candidatos à disputa, o senador Eduardo Braga (PMDB) e o governador José Melo (PROS), receberam as primeiras adesões de siglas partidárias nas últimas semanas.

Embora tenha o maior número de legendas, até agora, sete ao todo (PROS, PSD, DEM, PTN, PSC, PSL, PRP), o tempo de exposição de Melo no rádio e na televisão, caso a propaganda eleitoral gratuita estivesse começado, seria de 3 minutos e 6 segundos, sem contar o tempo a ser distribuído igualitariamente (1/3) entre os partidos, pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) - em torno de 26 segundos.

O senador Eduardo Braga já recebeu o apoio oficial do PT, PTB, PRB e PPL. Hoje, o PCdoB, da senadora Vanessa Grazziotin, embarca na candidatura Braga levando à coligação seus quase 43 segundos. Reunindo o tempo previsto do PMDB, que é de 2 minutos e 34 segundos, o senador contaria hoje com 7 minutos e 33 segundos porque o PT, com a maior bancada de deputados federais, dispõe de generosos 3 minutos e 3 segundos de propaganda.

Amazonino

No jogo das probabilidades, tudo indica que o PDT, do ex-governador Amazonino Mendes, que conta com 43 segundos de tempo no rádio e na TV, ficará ao lado do senador peemedebista. Se essa parceria se concretizar, virão também o PV, PRTB e PTC, todos sob influência de Amazonino, e mais 44 segundos das três legendas.

A última aquisição da chapa Braga poderá ser o Solidariedade (SD), comandado pelo deputado federal Henrique Oliveira. O senador tem cortejado o parlamentar, mas Henrique diz não ter desistido de uma candidatura própria ao Governo do Estado. O tempo do SD é de 1 minuto. A partir dessas conjeturas, Eduardo Braga teria 11 partidos e quase 10 minutos na propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão que começa no dia 19 de agosto.

Alfredo

 O governador José Melo também poderá ampliar o seu arco de alianças e o tempo no rádio e na televisão. Um deles é o Partido da República (PR), do senador Alfredo Nascimento. Embora venha afirmando que as aparições ao lado do governador não significam aliança para as eleições, Alfredo e o PR tendem a ficar com o PROS, assim como o PRTB, do irmão dele, Evilázio Nascimento. As duas legendas têm 1 minuto e 40 segundos, um bom tempo de exposição na mídia eletrônica.

Pelo fato de ter participado de dois encontros com Melo, o PHS, do vereador Wilker Barreto, tende a compor a chapa do PROS e garantir seus 2 segundos na propaganda eleitoral. Por esses cálculos, o governador teria até aqui o apoio de 10 partidos e um total de 4 minutos e 48 segundos no rádio e na TV.

PSB, PPS e PMN estão na disputa

A disputa eleitoral no Amazonas, no entanto, não se resume apenas ao senador Eduardo Braga e ao governador José Melo. O PSB, com 1 minuto e oito segundos de tempo no rádio e na TV, vai lançar o deputado estadual Marcelo Ramos. O PPS, dono de 27 segundos de propaganda eleitoral gratuita, está determinado na candidatura do vice-prefeito de Manaus, Hissa Abrahão. E ainda tem o nome do deputado estadual Chico Preto, do PMN, que conta com dois segundos de tempo na TV.

Há quem aposte na união dos três partidos e dos seus respectivos nomes e transformar em uma só candidatura, mas a estratégia do PSB, PPS e PMN é ampliar o leque de opções na primeira fase das eleições para levar o pleito ao segundo turno.

Os partidos chamados de “esquerda” não vão se unir nas eleições de 2014. O Psol, único com tempo previsto de 21 segundos e 46 décimos, por ter três representantes na Câmara dos Deputados, queria uma coalizão de forças no Amazonas, mas PSTU, PCO e PCB vão lançar candidatos próprios porque todos terão candidatos a presidente da República. Terão direito apenas ao tempo que será distribuído igualitariamente entre os partidos.

Propaganda eleitoral

A propaganda será veiculada entre 19 de agosto e 2 de outubro. Os programas serão transmitidos duas vezes por dia e cada um terá 25 minutos. O tempo exato dos partidos e das coligações para as eleições de 2014 será calculado e distribuído pelos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) a partir de julho, após ocorrerem as convenções. De acordo com a legislação, o espaço no horário eleitoral gratuito de 2014 será proporcional ao tamanho da bancada na Câmara conquistada nas eleições de 2010.