Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Cerca de 90% dos cirurgiões-dentistas do Amazonas estão concentrados na capital

Encontro nacional em Manaus discute problemáticas da odontologia no país; atendimento no interior é um dos temas mais preocupantes

Para o presidente do CFO, Ailton Morilhas (com o microfone), a falta de estrutura e os baixos salários são um entrave para que os profissionais se fixem no interior

Para o presidente do CFO, Ailton Morilhas (com o microfone), a falta de estrutura e os baixos salários são um entrave para que os profissionais se fixem no interior (Divulgação)

No Amazonas, cerca de 90% dos 3 mil cirurgiões-dentistas registrados do Conselho Regional de Odontologia (CRO-AM) estão concentrados na capital, deixando o interior desassistido na área de saúde bucal. O problema é a realidade da maioria dos estados do Brasil, segundo avaliação do presidente do Conselho Federal de Odontologia (CFO), Ailton Morilhas, que está em Manaus coordenando um encontro nacional com os presidentes dos 27 conselhos regionais de odontologia do País.

O encontro, iniciado nesta quinta-feira (20), encerra amanhã, sexta-feira (21) no Hotel Caesar Business. Segundo Ailton, na maioria das cidades do interior, a falta de estrutura e os baixos salários oferecidos são um entrave para que os profissionais se fixem nessas localidades. “Profissionais nós temos, em excesso até, mas estão na sua maioria concentrados na capital. Isso faz com que, o Brasil, que possui o maior número de dentistas e cirurgiões, seja, paralelamente, o mais carente de saúde bucal”, afirmou.

Para a presidente do Conselho Regional de Odontologia do Amazonas (CRO-AM), Vera Louzada, no Amazonas, a dificuldade de acesso agrava ainda mais a situação. “Como é de conhecimento de todos, em algumas das nossas cidades só é possível chegar de barco, uma viagem que pode levar dias. O profissional que se forma acaba preferindo ficar na capital”, disse.

Ela destaca que Manaus possui sete faculdades que oferecem o curso de odontologia, formando em média até 240 profissionais, por ano. “Há uma grande oferta de profissionais, mas a população do interior não se beneficia por conta dessa falta de políticas públicas. Nós enquanto conselho que fiscaliza a atividade profissional, estamos atuando firme na fiscalização dos falsos dentistas e também dos profissionais que praticam o exercício ilegal”, disse.

Durante o encontro nacional, o CFO também está recebendo as principais demandas dos conselhos regionais. “Nós sabemos que a Região Norte, por exemplo, precisa de muita ajuda e é esse é um dos motivos de estarmos aqui”, afirmou o presidente Ailton Morilhas.

Morilhas ressaltou os prejuízos para a saúde de pessoas que não têm acesso à serviços odontológicos. “Estudos já apontam uma série de relações entre infecções que ocorrem na boca e problemas cardiovasculares, diabetes, obesidade, câncer, osteoporose, parto prematuro e outros”, disse.

Boas vindas
O coordenador-executivo da Unidade Gestora da Copa (UGP-Copa), Miguel Capobiango, esteve no evento dando boas vindas a todos os participantes e convidando para uma visita na Arena da Amazônia. “Em nome de todo o Estado, agradeço ao CFO por ter escolhido Manaus para realizar essa assembleia nacional”, disse. 

* Com informações do Conselho Regional de Odontologia (CRO-AM).