Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Obra da Cidade Universitária avança com pavimentação e alicerces de primeiros prédios

Complexo localizado em Iranduba já tem as pedras fundamentais das futuras Reitoria e Biblioteca e cerca de 1,5 km de asfalto concluído; obras vão acelerar com o verão amazônico

Primeiras edificações da futura Cidade Universitária da UEA começam a ser construídas, em Iranduba

Primeiras edificações da futura Cidade Universitária da UEA começam a ser construídas, em Iranduba (Alex Pazuello)

Com um trecho de 1,5 quilômetro já com a primeira camada de asfalto, a pavimentação da estrada de acesso à Cidade Universitária da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), avança com o verão e deverá estar concluída em outubro. As obras do Governo do Amazonas para a implantação da primeira etapa do complexo, localizado em Iranduba (município a 25 quilômetros de Manaus), também iniciaram, com a implantação dos alicerces dos prédios da futura Reitoria e da Biblioteca.

Nesta quarta-feira 27 de agosto, as obras de imprimação, que é a primeira mão de asfalto, alcançaram 1,5 quilômetro e, segundo a secretária de Estado de Infraestrutura, Waldívia Alencar, toda a obra da estrada de acesso (com asfaltamento e acabamentos) ficará pronta em novembro. “Vamos aproveitar ao máximo o verão para ver se até o final de outubro nós já estejamos com toda a pavimentação concluída. E, até o final de novembro, vamos concluir toda a via”, ressaltou.

A implantação da estrada de acesso contou com um processo de terraplanagem de base que, em alguns trechos, chegou a 18 metros de aterro. Há ainda três galerias de três metros de altura e um sistema moderno de drenagem profunda, que faz a captação de água evitando que haja umidade no solo, o que aumenta a durabilidade do pavimento.

A obra da estrada de acesso, segundo Waldívia Alencar, segue as diretrizes das licenças ambientais, estabelecidas em termos de exigências e obrigações para cumprimento da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) e por parte da empresa responsável pela construção. “O trabalho é realizado dentro das normas técnicas, destinado a atender o meio ambiente e as questões sociais”, destacou a secretária.

Primeira etapa

As obras também evoluem com a implantação dos alicerces dos primeiros prédios da etapa inicial da Cidade Universitária. Já estão avançados os pilares dos prédios da Reitoria e da Biblioteca. Nesta primeira fase, serão implantados, além desses dois prédios, as edificações do Restaurante Universitário, da Escola Superior de Ciências Sociais, a Escola Normal Superior e o Núcleo Residencial Universitário, com alojamento inicialmente para 1.000 alunos.

De acordo a Seinfra, o ramal de acesso à Cidade Universitária tem investimentos de R$ 44,6 milhões. Já a etapa de edificações receberá aportes de R$ 81.975.660,10.  

O prédio da Reitoria, composto por três pavimentos, terá uma área total de 15.972,59m², sendo o térreo e mais dois pavimentos intermediários. O térreo da Reitoria terá área de circulação, elevadores e escadas, sanitários, copa, áreas de convivência e salas técnicas e administrativas, ocupando uma área de 5.259,05m². O primeiro pavimento terá uma área de 5.647,07 m², enquanto o segundo e último pavimento terá 5.066,47 m² de área construída.

A Biblioteca Central terá dois pavimentos (térreo e mezanino), ocupando uma área total de 2.686,39m². O projeto do prédio do Refeitório da Cidade Universitária também prevê a construção de dois pavimentos, com área total de 2.138,18m². O restaurante terá capacidade para atender 2.000 refeições/dia, com lotação para até 450 pessoas.

O prédio onde funcionará a Escola Superior de Ciências Sociais terá 45 salas de aula e capacidade para receber 2.700 alunos; a Escola Normal Superior terá 40 salas de aula para cerca de 2.400 alunos, além de salas para professores, coordenadores, biblioteca e setores administrativos.

Quando pronto em sua totalidade, o Núcleo Residencial Universitário terá quatro pavimentos totalizando 142 apartamentos e área total de 5,417,40m². No térreo serão 29 unidades padrão e mais cinco para pessoas com deficiência. Os outros três pavimentos terão 36 unidades padrão (apartamentos) cada um. Toda a estrutura foi planejada para oferecer o máximo de funcionalidade e conforto aos professores, alunos e corpo administrativo.

* Com informações da Agência de Comunicação do Amazonas (Agecom).