Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Copa e Dia dos Namorados fazem comércio registrar vendas de R$ 72 milhões em junho

Montante representou um avanço de 3,2% em relação ao ano passado, mas ficou abaixo da expectativa de 4%, segundo a CDL-Manaus

Demanda por televisores cresceu bastante no período que antecedeu a Copa

Demanda por televisores cresceu bastante no período que antecedeu a Copa (Evandro Seixas/18/Jun/2014)

Entre chocolates, roupas, smartphones e camisas da Seleção, a semana do Dia dos Namorados rendeu R$ 72 milhões em vendas ao comércio local, 3,2% a mais sobre o mesmo período do ano passado. Ainda que tenha registrado avanço, o incremento ficou abaixo da expectativa inicial do setor, que planejava crescer em torno de 4%.

De acordo com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL-Manaus), o volume do faturamento também foi 25,77% inferior aos R$ 97 milhões projetado anteriormente pela entidade.

O presidente da CDL-Manaus, Ralph Assayag, defendeu que, mesmo abaixo do aguardado, o resultado pode ser comemorado. Ele explicou que a coincidência da data comemorativa com o início da Copa do Mundo desviou a atenção dos consumidores. “Não significa que os namorados não presentearam, mas com a euforia da Copa, muitas vendas computadas foram referentes a camisetas e acessórios ligados ao Mundial. No momento de contabilizar, tivemos que fazer essa separação”, detalhou.

Reflexo da Copa

Apesar de junho ser um mês tipicamente fraco para o comércio, as primeiras duas semanas foram impulsionadas tanto pelo Dia dos Namorados quanto pela venda de apetrechos para a Copa, com crescimento médio de 1% nas vendas, por semana. Porém após este período, as vendas esfriaram e durante esta semana, o comércio perdeu força. “Tivemos um feriado e vários dias com meio expediente. Foi uma semana ruim. Vamos analisar semana a semana para entender, ao final do mês, quais foram os reflexos reais da Copa para os lojistas”, avaliou.