Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

LEGO cresce no mercado nacional e mira agora na Região Norte

Faturamento dos produtos LEGO cresceu 85,06% na região Norte ao longo de 2013, e tem em Manaus um potencial de mercado cada vez maior, em razão da ampla divulgação do produto

Robério Esteves, diretor de operações da LEGO no Brasil, destaca o crescimento nas vendas dos produtos no País

Robério Esteves, diretor de operações da LEGO no Brasil, destaca o crescimento nas vendas dos produtos no País (Divulgação)

O faturamento nas vendas dos brinquedos da marca dinamarquesa LEGO, aquelas pecinhas de montar que a cada ano ganha mais versões, cresceu 61% no Brasil e 85,06% na região Norte ao longo de 2013. De acordo com Robério Esteves, diretor de operações da LEGO, no Brasil, esse crescimento ocorre em função do investimento feito em comunicação (realizados em TVs a cabo) e em merchandising, mais especificamente em pontos de vendas. Tudo baseado na projeção de que a região Norte apresenta potencial cada vez maior de crescimento econômico.

“Nossos investimentos estão acontecendo em todas as regiões do País, todavia observamos aqui um potencial grande a ser explorado. Na região Norte estão acontecendo grandes transformações, principalmente sociais, com muitos investimentos e, famílias tendo acesso ao consumo. Por isso, procuramos fazer todo investimento que está ao nosso alcance”, analisou.

Apesar da marca (LEGO) passar a intenção de ser um brinquedo elitizado, Esteves alega que a ideia é mostrar que é um brinquedo democrático e disponível a todas as classes sociais. Segundo ele, existem brinquedos a partir de R$ 11,99, que são as mini figuras e também os conjuntos a partir de R$ 30.

“De todo o volume que importamos ao Brasil, a maior parte tem preço final de até R$ 100. Isso mostra que temos preços acessíveis, mas também temos itens que chegam a custar US$ 2,7 mil da linha robótica”, explicou, completando que a proposta também é mostrar que o produto é durável, colecionável, pedagógico, mas acima de tudo divertido.

Em 2013, a empresa renovou 84% de sua linha de produtos ao longo do ano, em um total de 300 novos itens que foram postos à venda no Brasil. Todo esse portfólio está a disposição a todas as regiões do país, e sua disponibilidade nas prateleiras depende de cada cliente, além do espaço disponível na loja.

Manaus
Em Manaus, um exemplo do investimento em merchandising é a loja Locomotiva, que oferece um espaço totalmente voltado aos produtos da marca dinamarquesa. No entanto, o executivo disse que não há projeto para inauguração de uma loja conceito em Manaus, mas não descartou a possibilidade.

“A procura por produtos cresceu bastante. Em comparação há dez anos é muito grande. Cresceu a compra em torno de 30%, somente no final do ano, mas vendemos LEGO o ano inteiro. Compram de todos os preços dos mais baratos aos mais caros”, informou Valéria Pontes, gerente da Locomotiva Brinquedos.

Os últimos investimentos divulgados no Brasil foram os de 2012, os números de 2013 não foram anunciados. No total, conforme disse Esteves, a LEGO arrecadou no mundo todo US$ 4,1 bilhão de dólares no mundo, 17% a mais que o ano anterior, números que a fazem continuar na liderança entre as fabricantes de brinquedos para montar.