Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Dilma almoça no Palácio Guanabara com chefes de Estado que assistirão à final

Estão confirmados os presidentes da África do Sul, da Rússia, do Congo, da Hungria, do Haiti, além da chanceler alemã, Angela Merkel, que vai prestigiar o jogo de sua seleção 

Palácio Guanabara é a sede do governo do Rio de Janeiro

Palácio Guanabara é a sede do governo do Rio de Janeiro (Reprodução/ Internet)

A presidenta Dilma Rousseff chegou às 12h10 ao Palácio Guanabara, onde oferece almoço aos chefes de Estado e de Governo que assistirão, logo mais à tarde, no Maracanã,  ao encerramento da Copa do Mundo de 2014, entre as seleções da Alemanha e da Argentina.

Estão confirmadas as presenças dos presidentes da África do Sul, Jacob Zuma; da Rússia, Vladimir Putin; do Congo, Denis Sassou-Nguesso; da República Democrática do Congo, Joseph Kabila; da Hungria, János Áder; do Haiti, Michel Martelly; e a chanceler alemã, Angela Merkel, entre outros.

A pedido das forças de segurança, a prefeitura interditou o tráfego de veículos na Rua Pinheiro Machado, onde fica a sede do governo fluminense. A via ficará fechada nos dois sentidos até as 14h30 deste domingo (13). De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio de Janeiro (CET-Rio), o horário de abertura da rua pode ser alterado, caso haja necessidade.

A previsão é que a presidenta Dilma e os mandatários estrangeiros assistam ao evento no Maracanã ao lado do presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Joseph Blatter, e fiquem no local até o final da cerimônia de premiação do Mundial 2014. O retorno de Dilma Rousseff a Brasília está programado para as 19 horas, no Aeroporto Santos Dumont.

Na próxima terça-feira (15), os chefes de Estado que integram o grupo Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) farão uma reunião de cúpula em Fortaleza, no Ceará, que terá prosseguimento em Brasília, na quarta-feira (16). Um dos temas em pauta é a criação de um banco de desenvolvimento pelo grupo.