Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Ebola já matou 887 pessoas em quatro países da África este ano

Países africanos vivem epidemia do mortal vírus ebola que já preocupa a Organização Mundial da Saúde (OMS) pelo risco de se espalhar por outros continentes

A OMS acionou doadores e agências internacionais de saúde para enviarem reforços no combate ao alastramento da doença

A OMS acionou doadores e agências internacionais de saúde para enviarem reforços no combate ao alastramento da doença (Reprodução/AP Photo)

O vírus ebola já matou 887 pessoas este ano, em quatro países da África. Libéria, Serra Leoa e Guiné concentram o surto da doença, e na Nigéria, onde foi confirmada uma morte, há dois casos do vírus em pessoas que trabalham na área de saúde e em uma pessoa que viajou para a Guiné.

Os números foram divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), e revelam que em apenas dois dias (31 de julho e 1º de agosto) foram notificados 163 novos casos, e morreram 61 pessoas com a doença. Entre casos confirmados, prováveis e suspeitos incluindo as 887 mortes, a OMS registrou 1.603 casos de virus ebola, que está se disseminando mais rapidamente do que as organizações podem controlar.

Desde o começo do surto, em março, a Guiné teve 485 casos, com 358 mortes; a Libéria contabilizou 468 casos, dos quais 255 mortes; Serra Leoa teve o maior número de infectados, com 646 casos, incluindo 273 mortes.

Na última sexta-feira (1º), a diretora-geral da OMS, Margaret Chan, esteve em reunião com os presidentes dos três países onde o surto está instalado para planejar ações de combate à epidemia. Para a diretora, a situação está fora de controle.

Segundo a agência portuguesa de notícias Lusa, dois norte-americanos contraíram a doença na Libéria, e pelo menos um deles recebeu um remédio experimental para tratar a doença. O médico Kent Brantly e a missionária Nancy Writebol apresentaram febre, vômitos e diarreia, sintomas da doença, em julho, e os exames de laboratório confirmaram a doença.