Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Equipes de busca chegam a Apuí para buscas de engenheiro desaparecido há uma semana

Ele foi visto pela última vez na tarde do dia 7, quando saiu às pressas da obra em que realizava serviços por conta, segundo seu irmão, de uma discussão com os vizinhos da obra

Gileno Vieira da Rocha estava a serviço em Apuí quando desapareceu

Gileno Vieira da Rocha estava a serviço em Apuí quando desapareceu (Arquivo pessoal)

A equipe de busca da Polícia Militar chegou nesta quinta-feira (14) ao distrito de Sucunduri, no município de Apuí, a 408 kms de Manaus, para auxiliar na procura de um homem desaparecido na localidade desde o dia 7.

De acordo com a Polícia Civil, Gileno Vieira da Rocha, engenheiro civil contratado pela empresa Diretriz Pavimentação e Terraplanagem, saiu de Manaus na terça-feira (5) em direção a Sucunduri a serviço. Lá, ele faria medições para a construção da quadra de uma escola.

De acordo com Sérgio Rocha, irmão dele, ele só deveria ter ficado na localidade por um dia, mas ficou mais por conta de serviços que precisam ser realizados na obra. Ele deveria prosseguir para uma obra localizada no distrito de Santo Antônio do Matupi, no município de Manicoré, distante 390 kms da capital amazonense.

Na tarde do dia 7, no entanto, tendo concluído o serviço, ele saiu às pressas do distrito por conta, segundo Sérgio, de uma discussão com os vizinhos da obra.

Conforme informado pela Polícia Civil, para sair de lá e se dirigir a Apuí, ele pegou uma carona com uma caçamba da Diretriz, dirigida por Evanir Gelson Hetzel, 43.

Juntos, eles percorreram cerca de sete quilômetros, até que Gileno desceu da caçamba no Km 103 da Rodovia Transamazônica (BR-230). Nesse ponto, segundo relatos de moradores, ele teria pegado carona com uma picape prata e não foi mais visto.

O desaparecimento do engenheiro foi registrado na Delegacia de Apuí no dia 10 por Evanir. Em seu depoimento, ele disse que Gileno discutiu com a família de uma jovem adolescente que era vizinha da obra e que saiu rapidamente da obra. Ele confirmou ter dado carona a Gileno, mas não mencionou nada sobre a picape prata.

A Polícia Militar informou que dois policiais do Batalhão de Choque, dois da Companhia de Cães e dois do Comando de Operações Especiais (COE) se deslocaram de Manaus para auxiliar nas buscas.

O Corpo de Bombeiros, que foi acionado nesta quinta-feira (14), informou que se juntará à equipe da PM nas buscas dentro da mata fechada, que iniciarão nesta sexta-feira (15).