Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Amazonas teve a 11ª maior taxa de homicídios a cada 100 mil habitantes em 2012

Os dados são do Mapa da Violência 2014, que usa números de homicídios, acidentes de trânsito e suicídios compilados pelo Ministério da Saúde em todos os estados brasileiros

Estudo aponta número recorde de homicídios no Brasil

Estudo aponta número recorde de homicídios no Brasil (Divulgação)

Com 36,7%, o Estado do Amazonas teve a 11ª maior taxa de homicídios a cada 100 mil habitantes em 2012, segundo a nova edição do estudo Mapa da Violência, divulgado na tarde desta terça-feira (27). O estudo, que utiliza dados do Sistema de Informações de Mortalidade do Ministério da Saúde (SIM-MS), compila informações registradas desde 1980 até 2012. Usando números brutos e taxas proporcionais medidas a cada 100 mil habitantes para criar estatísticas, ele se atém a três tipos de morte violenta: acidente de transporte, homicídio e suicídio.

Em relação aos homicídios, o Estado teve pouco crescimento entre 2011 e 2012 (2,2%), mas um enorme durante a década (157,2%), bem acima da média da Região Norte (107,6%) e nacional (13,4%) no mesmo período.

O mapa, que começou a ser divulgado em 1998, mostra que o Amazonas registrou queda de 7,8% nas mortes por acidente de transporte de 2011 para 2012 (foram 554 no primeiro e 511 no segundo), mas, tendo a década como referência, houve um aumento de 62,2%.

As taxas proporcionais reduzem ainda mais esse quadro: queda de 9,1% entre 2011 e 2012 e aumento de 33,8%. Em ambas as estatísticas, o Estado está abaixo da média da Região Norte.

Mesmo nas taxas que consideram o aumento populacional, o resultado preocupa: o aumento de homicídios no Amazonas na década foi de 112,2%, também passando a Região Norte (71,5%) e o Brasil (2,1%).

Os suicídios no Estado cresceram estavelmente durante a década analisada (131,3%) , sainde de 80 em 2002, alcançando um pico em 2011 (188 mortes) e reduzindo 1,6% desde então (em 2012, foram 185).

Enquanto na análise 2002-2012, o aumento é bem maior que a média da Região Norte (77,7%) e nacional (33,6%), a análise do último ano é mais positiva: houve redução de suicídios no Estado no mesmo período, enquanto o resto do país computou um leve aumento. O mesmo se percebe nas taxas proporcionais.

Brasil

Os estudo também apontou um crescimento significativo do número de vítimas nos acidentes de transporte na última década analisada (2002 a 2012), que passaram de 33.288 para 46.581. Isso corresponde a um aumento de 38,3%. Só de 2011 a 2012, esse número subiu de 44.553 para 46.051 (um aumento de 3,4%). Considerando o aumento populacional da década, o aumento é de 24,5%, ainda expressivo.

Os números de homicídios a nível nacional cresceram de forma moderada entre 2002 e 2012, segundo o estudo: eles tiveram aumento de 13,4%, passando de 49.695 para 56.337, porém as taxas, que levam em conta o aumento da população, só apontam 2,1% de crescimento. Dos três tipos de morte violenta estudados, o homicídio ainda é aquele que corresponde ao maior número de óbitos.

Nas palavras do pesquisador Julio Jacobo Waiselfisz, coordenador da Área de Estudos da Violência da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), “o número de suicídios eleva-se de forma contínua e sistemática ao longo da década”: passaram de 7.726 para 10.321, um aumento de 33,6% e as taxas cresceram 20,3%.