Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Governador anuncia lançamento de concurso da Seduc

Com aproximadamente 6 mil vagas, o certame oferece oportunidades para diversos cargos e níveis de escolaridade, em Manaus e no interior

Na imagem, os candidatos do concurso de 2011, o último realizado pela Seduc, que ofereceu mais de 7 mil vagas

Na imagem, os candidatos do concurso de 2011, o último realizado pela Seduc, que ofereceu mais de 7 mil vagas (Luiz Vasconcelos/Arquivo AC)

Um dos concursos mais aguardados do ano pelos amazonenses enfim ganha uma data de lançamento. Segundo o governador do estado, José Melo, o edital da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) deve sair na próxima quinta-feira, dia 29 de maio.

Com aproximadamente 6 mil vagas, o novo certame busca preencher cargos em Manaus e no interior, com oportunidades para os níveis fundamental, superior e médio. A maior parte das vagas se destina a professores, mas também há espaço para assistentes administrativos, nutricionistas e merendeiros. A empresa escolhida para a realização das provas foi a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Antes do anúncio definitivo, que deve ser feito pelo titular da pasta, Rossieli Soares, Melo afirmou que será feita uma reunião, para acertar os últimos detalhes da sua organização.

O concurso deste ano é o primeiro da Seduc desde 2011, quando foram oferecidas mais de 7 mil vagas. Na época, erros de organização, como a estimativa errada do número de profissionais, causaram descontentamento entre os participantes, muitos dos quais foram aprovados, mas não puderam tomar posse, porque as vagas a que haviam concorrido já tinham sido preenchidas. Nos anos seguintes, a realização de Processos Seletivos Simplificados (PSS’s), sem aproveitamento dos concursados, causou ainda mais revolta.

O novo certame surge em meio ao descontentamento dos professores da rede estadual por causa do aumento anunciado pelo governo para a categoria, que é de 10%, mas foi desmembrado em dois percentuais menores: 5,67% neste ano, retroativo a março, e mais 4,33% em 2015.