Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Governo do AM e MJ vão ampliar modelo de segurança usado na Copa para monitorar fronteiras

Reunião conjunta dos órgãos de segurança definiu a adoção de um plano integrado, que também vai fazer uso de tecnologia de ponta no monitoramento de drogas e traficantes na fronteira do Amazonas

Coronel Dan Câmara, que comandou a segurança durante a Copa em Manaus, participou das discussões

Coronel Dan Câmara, que comandou a segurança durante a Copa em Manaus, participou das discussões (Nathalie Brasil/Agecom)

O combate à criminalidade nas regiões de fronteira do Norte do país deve avançar com a adoção de um plano integrado de operação no mesmo modelo do adotado em Manaus durante o período da Copa do Mundo.  O detalhamento do plano, que vai integrar as forças de segurança de municípios, Estado e União com o uso de tecnologia de ponta, começou a ser discutido na tarde desta segunda-feira, 28 de julho, pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-AM) e o Ministério da Justiça (MJ).

A reunião para discussão do plano foi realizada no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), localizado na avenida André Araújo, zona centro-sul de Manaus, e contou com a participação de representantes da SSP-AM, do Ministério da Justiça e da Secretaria Executiva para Grandes Eventos (Seasge) e Secretaria Extraordinária de Grandes Eventos. Entre as estratégias de integração, está a interligação do CICC a bases instaladas nos municípios do Amazonas que fazem fronteira com países vizinhos ao Brasil.

“A Copa nos trouxe um legado estrutural e estratégico de segurança fantástico para a segurança do nosso Estado. Há duas semanas, em Salvador (BA), houve uma avaliação de todas as cidades sede da Copa e Manaus teve uma ótima avaliação. Agora estamos discutindo com o Ministério da Justiça para que esse modelo seja aplicado nas ações de fronteira executadas pelas Forças Armadas, com apoio das instituições de segurança do Estado”, esclareceu o coronel Oliveira Filho, coordenador adjunto do CICC.

Oliveira Filho destacou ainda que o plano prevê a instalação de bases que serão interligadas ao CICC. “Cada município de fronteira deverá ter uma base cujas comunicações estarão ligadas ao CICC. É claro que a estrutura será menor, mas o objetivo principal é reunir num mesmo ambiente todas as esferas de segurança”, acrescentou, enfatizando que Tabatinga (a 1.108 quilômetros de Manaus) será um dos municípios do Amazonas a receber uma base interligada ao CICC.

De acordo com o coronel, as ações de fronteiras atualmente já contam com a presença das instituições de segurança estadual e federal, mas o modelo integrado somado ao aparato tecnológico de monitoramento do CICC deverá otimizar os resultados no combate principalmente do tráfico de drogas e de pessoas nas regiões de fronteira do norte do País.

* Com informações da Agência de Comunicação do Estado do Amazonas (Agecom).