Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Greve da PM no Amazonas é encerrada após acordo

Lideranças do movimento se reuniram com o governador José Melo na manhã desta segunda-feira (28) para buscar um acordo que atendesse aos anseios da categoria; entre as principais reivindicações está a mudança na lei de promoções da carreira

Representantes do movimento grevista em reunião com Raul Zaidan, da Casa Civil, para tratar da mudança na lei sobre promoções na carreira

Representantes do movimento grevista em reunião com Raul Zaidan, da Casa Civil, para tratar da mudança na lei sobre promoções na carreira (Divulgação)

Após uma reunião com o governador do Estado, José Melo, na manhã desta segunda-feira (28), os líderes da greve da Polícia Militar (PM), deflagrada na noite de domingo, decidiram encerrar a paralisação.

A decisão veio após um acordo firmado com Melo, que se comprometeu em atender as principais demandas dos manifestantes. De acordo com a ata da reunião, foram cinco reivindicações, todas relacionadas às condições de trabalho dos agentes.

O encontro ocorreu no Palácio do Governo, na Compensa, Zona Oeste de Manaus, e envolveu o secretário de Segurança, Paulo Roberto Vital, o chefe da Casa Civil, Raul Zaidan, os representantes da Associação dos Praças do Estado do Amazonas (Apeam), Platiny Soares e Gerson Feitosa, e lideranças do CPE, CPI e COM.

Uma das principais reivindicações é a mudança na lei de progressão da carreira. Em sua forma atual, ela não possui regras claras para determinar a promoção de soldados e oficiais. Embora haja concursos para formação de, por exemplo, cabos ou tenentes, eles não são garantia de promoção para o cargo, e nem a qualificação em universidades ou cursos de disciplinas militares. A questão há muito tempo é motivo de insatisfação na PM.

 
Ata da reunião entre a comissão da PM e o governador

Outras demandas tratadas na reunião foram a implantação do Código de Ética da corporação, a regulamentação da Gratificação por Trabalho Extra (GTE), a mudança na escala de serviços e a implantação de Auxílio Moradia e Auxílio Alimentação.

O governador deu um prazo de 90 dias para efetuar as mudanças. Melo também deixou claro que a manifestação foi legítima, e que não haverá qualquer punição para os envolvidos. Após o encontro, a comissão da PM teve uma reunião de trabalho com o secretário da Casa Civil, Raul Zaidan, para tratar das mudanças. Uma série de reuniões será agendada para dar continuidade ao cumprimento das reivindicações, com a primeira marcada já para esta terça (29).

Com o acordo, os policiais devem retornar a seus postos de trabalho nesta tarde.

Confira imagens da manifestação realizada nesta manhã na Arena Amadeu Teixeira.