Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Hissa Abrahão mantém candidatura ao Governo em coletiva à imprensa

Vice-prefeito afirmou que foi pressionado pelo prefeito Artur Neto para abandonar a idéia de disputar a eleição em 2014

Hissa Abrahão

Hissa Abrahão disse que dificilmente se aliará ao senador Eduardo Braga na campanha eleitoral pelo Governo (Evandro Seixas)

Exonerado da pasta de Infraestrutura, na terça-feira, o vice-prefeito Hissa Abrahão (PPS) manteve, nesta terça (17), em coletiva, a condição de pré-candidato ao Governo do Amazonas, e disse ser difícil se aliar ao senador Eduardo Braga (PMDB) em 2014. “Provavelmente, não (aliança com Braga). Somos (PPS e PSB) oposição à Dilma (Rousseff, presidente da República), e ele é o líder do governo dela”, disse Hissa.

O vice-prefeito convocou a imprensa, ontem, para falar das circunstâncias de sua saída da Secretaria de Infraestrutura (Seminf). Hissa disse que vinha sendo pressionado pelo prefeito Artur Neto (PSDB) a dizer que não será candidato a governador em 2014. Como se recusou, foi tirado do cargo de secretário.

“Querer forçar uma tomada de decisão sem eu ter a certeza (dela) é querer dizer que sou subalterno politicamente. Até ontem (terça-feira), antes do Artur oficializar minha demissão, recebi ligação pedindo para eu dizer que não seria candidato em 2014, que ficaria tudo como estava”, declarou Hissa Abrahão. Segundo o vice-prefeito, dessa vez, quem insistia ao telefone para ele desistir da pré-candidatura era o ex-secretário de governo, e hoje de Educação Humberto Michiles (PSDB).

O vice-prefeito alegou que nunca afirmou ser candidato. Mas mesmo assim o assunto foi usado como pretexto para arrancá-lo da Seminf. “Agora não vou negar que não tenho vontade. Mas há diferença entre ter vontade e ser”, afirmou Hissa Abrahão.

Com a aliança nacional entre o PPS e o PSB, Hissa disse que a decisão do nome que concorrerá ao Governo do Amazonas passará pela anuência das duas siglas. “Se decidirem que o candidato será o Serafim (Corrêa-PSB) eu vou apoiá-lo. Não está nada decidido”, afirmou o vice-prefeito.

Segundo o vice-prefeito, a rusga entre ele e Artur Neto não vai interferir na administração da cidade. “Minha relação com o prefeito vai ser boa. Não vamos prejudicar a cidade. Nas vezes que precisar, o prefeito vai poder viajar à vontade, que vou cumprir minha tarefa”, disse o ex-secretário da Seminf.

Para Hissa, nunca fez sentido para ele pensar as eleições de 2014 sem a participação dele e de Artur. E não descartou que os dois podem estar juntos na disputa do ano que vem. “É um desperdício 2014 passar e nós (ele e Artur) não participarmos da eleição. E acho até que vamos”, declarou o vice-prefeito.

Reunião com Eduardo Campos
O vice-prefeito Hissa Abrahão foi a Recife, na terça-feira passada (dia 10), apresentar informações do Amazonas ao governador de Pernambuco e pré-candidato à Presidência da República, governador Eduardo Campos (PSB). “Politicamente, falamos de números sobre o Amazonas, para ele entender um pouco da realidade do nosso Estado”, disse o vice-prefeito.

Hissa disse que Eduardo Campos merece ser observado com mais atenção. “Observem com carinho esse nome Eduardo Campos. Não tenho dúvida que se ele for presidente vai dar muitas glórias ao Brasil e ao Amazonas”, disse o vice-prefeito.

O presidente estadual do PSDC, Cícero Alencar, participou da coletiva de Hissa Abrahão, e declarou apoio à pré-candidatura do vice-prefeito. Do governo de Artur Neto, apenas o secretário de Trabalho, Guto Rodrigues (PPS), acompanhou Hissa. Guto disse que não vai entregar o cargo.