Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Instituições financeiras preveem crescimento de 1,7% na economia do país em 2014

Última projeção do Produto Interno Bruto (PIB) registrou +1,67%. Consultas do Banco Central (BC) também avaliaram uma possível expansão de 2% em 2015 

Conforme dados, expansão da produção industrial caiu de 1,87% para 1,80% em 2014

Conforme dados, expansão da produção industrial caiu de 1,87% para 1,80% em 2014 (Reprodução)

A economia brasileira deve crescer 1,70% neste ano, de acordo com estimativa de instituições financeiras consultadas todas as semanas pelo Banco Central (BC), divulgada hoje (5). A projeção da semana passada para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, era 1,67%. Para 2015, a projeção para o crescimento do PIB segue em 2%.

A estimativa para a expansão da produção industrial caiu de 1,87% para 1,80% em 2014, e permanece em 3% para 2015.

A projeção das instituições financeiras para a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB foi mantida em 34,7% neste ano, e em 35%, em 2015. A previsão para o superávit comercial (saldo de exportações menos importações) caiu de US$ 7,9 bilhões para US$ 7 bilhões neste ano, e baixou de US$ 10,5 bilhões para US$ 10 bilhões, no ano que vem.

A estimativa para o saldo negativo em transações correntes (registros de compra e venda de mercadorias e serviços do Brasil com o exterior) foi mantida em US$ 75 bilhões neste ano, e ajustada de US$ 67,8 bilhões para US$ 67,9 bilhões, em 2015.

A projeção para a cotação do dólar caiu de R$ 2,50 para R$ 2,49, em 2014, e permanece em R$ 2,55, no próximo ano. A expectativa das instituições financeiras para o investimento estrangeiro direto (recursos que vão para o setor produtivo do país) passou de US$ 58,8 bilhões para US$ 58 bilhões neste ano, e de US$ 57,3 bilhões para US$ 55 bilhões, em 2015.