Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Governador adia mais uma vez a inauguração da Arena da Amazônia-Vivaldo Lima

A decisão foi divulgada pelo próprio governado Omar Aziz (PSD) na manhã desta segunda-feira (10). Ele falou com a imprensa na sede da Câmara Municipal de Manaus (CMM)

Governador Omar Aziz afirma que segurança nas obras da Arena da Amazônia é prioridade e acata pedido de Ministro: inauguração oficial só em janeiro

Governador Omar Aziz em visita ao canteiro de obras do estádio (Lucas Silva)

A inauguração da Arena da Amazônia Vivaldo Lima, anunciada pelo governador Omar Aziz (PSD) para a próxima sexta-feira (14), foi adiada mais uma vez pelo próprio chefe de Estado, na manhã desta segunda-feira (10). A informação foi dada à imprensa, durante a chegada de Omar à sede da Câmara Municipal de Manaus (CMM), localizada no bairro Santo Antônio, Zona Oeste de Manaus, onde ele participa da abertura do ano legislativo na Casa.

De acordo com ele, as obras ainda não foram totalmente finalizadas e seria uma irresponsabilidade inaugurá-la com os 97% de conclusão. A construção, que já teve registro de morte de três operários por acidente de trabalho, já teve ao menos duas datas de inauguração desmarcadas.

A última morte registrada aconteceu na última sexta-feira (7), quando o operador de guindaste Antonio José Pita Martins, 55, morreu, após peças do guindaste que estava desmontando cair sobre sua cabeça e tórax.

A decisão do governador frustrou a visita da presidente Dilma Rousseff , que viria a Manaus esta semana para a inauguração do estádio e do residencial Viver Melhor 2ª etapa.

"Recebi uma ligação da assessoria da presidente dizendo que ela está disponível para vir a Manaus. Se ela quiser vir só para o Viver melhor, está bom. Só vamos entregar a obra quando ela estiver 100% pronta. Não há condições de entregá-la do jeito que está. Todo esforço foi feito e nós perderíamos, porque a própria imprensa diria que tem coisas inacabadas. Já passamos por tantas coisas, vidas foram perdidas, não adianta pressa agora", admitiu o governador.