Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Presidentes da CPI da pedofilia e do Tribunal de Justiça do AM em clima de tensão

A deputada federal Érica Kokay esteve na sede do TJAM na manhã desta sexta-feira (21) para pedir agilidade no julgamento de processos das Operações Vorax e Estocolmo. No local, ela disparou que a "frouxidão da lei no Amazonas não deve ser admitida"

Presidente da CPI da pedofilia, deputada federal Érika Kokay

Presidente da CPI da pedofilia, deputada federal Érika Kokay (Evandro Seixas)

Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de Combate à Pedofilia da Câmara dos Deputados, Érica Kokay (PT-DF) disparou duras criticas aos desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM) na manhã desta sexta-feira (21). Ela esteve na sede do órgão, localizado na Zona Centro-Sul de Manaus, para pedir celeridade nos julgamentos dos processos que envolvem o prefeito do município de Coari (distante 363 quilômetros de Manaus), Adail Pinheiro, e disse que “a frouxidão da lei no Amazonas não pode ser admitida”.

Além de agilidade nos processos da Operação Vorax, deflagrada para quebrar a ação de uma suposta rede de pedofilia em Coari, a presidente da Comissão solicitou acesso aos processos da Operação Estocolmo, encabeçada pela Polícia Civil em novembro de 2012, eque descobriu a ação de outra rede de exploração sexual que, segundo levantamentos da responsável pela operação, a delegada Linda Glaúcia, beneficiava empresários e políticos de alto poder aquisitivo do Amazonas.

Respondendo às criticas da parlamentar, o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Ari Moutinho deixou claro que as informações contidas em ambos os processos correm em segredo de Justiça e, que seguindo orientação do próprio Ministério Público, não poderia concede-las.

Sobre as criticas de morosidade da Justiça do Estado, Moutinho foi enfático ao dizer que Kokay precisa provar a veracidade de suas acusações. A criação de uma espécie de força-tarefa para combater tal morosidade, no entanto, também foi anunciada pelo magistrado. A equipe deve dar atenção especial para os casos relacionados à denuncias de pedofilia.

No MPE

Os representantes da CPI devem se reunir com membros do Ministério Público ainda na tarde desta sexta-feira. O pedido de intervenção da cidade de Coari deve ser um dos temas tratados na reunião.