Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Candidatos a governador do AM caçam vices para disputar eleições

Definição dos companheiros de chapa para o Governo, costurada nos bastidores, deve ser empurrada para o último dia da convenção

foto montagem

(Arquivo/AC)

A 11 dias para o término do prazo da Justiça Eleitoral para as convenções partidárias, apenas dois, dos dez pré-candidatos ao Governo do Amazonas fecharam a composição das chapas majoritárias. Os partidos políticos têm até o dia 30 deste mês para anunciar seus candidatos a governador e vice-governador, além dos candidatos ao  Senado, deputado federal e estadual.

Sob o patrocínio do ex-governador Omar Aziz, a candidatura de Melo pode ter como vice alguém do PSD. Além do partido de Omar, o atual governador conta também com o apoio do  DEM, PRP e o PSC.  Os membros do PTN e do PSL estão divididos entre a pré-candidatura dele e a de Braga. Outra possibilidade de Melo é alavancar um companheiro de chapa do PSDB do prefeito Artur Neto. O tucano deverá até a próxima semana anunciar a adesão à campanha de reeleição do governador. 

Melo disse, ontem, que a escolha de seu vice será uma decisão coletiva. “Nós estamos, ainda, trabalhando exaustivamente em cima disso. E essa é uma decisão que não é só minha, é uma decisão coletiva. Mas nós estamos trabalhando e em breve iremos anunciar”, afirmou.

O senador Eduardo Braga (PMDB) que, até agora, conta com o maior número de partidos envolvidos na sua pré-candidatura, ontem, declarou que prefere “não falar muito” sobre quem será escolhido como seu vice. “Continuo conversando com todos os partidos e, agora, prefiro não falar qual o perfil do vice, pois vocês irão matar a charada”, disse Braga após ser questionado qual o perfil do seu parceiro ou parceira de chapa.

Braga chegou a afirmar, na segunda-feira, durante entrevista coletiva, antes de um almoço com lojistas, na sede da Federação da Câmara de Dirigentes Lojistas do Amazonas (FCDL-AM), que três dos nove pré-candidatos ao Governo do Amazonas seriam bons nomes para vice na chapa encabeçada por ele. “O Hissa (Abraão – PPS) é um bom nome, como o Henrique (Oliveira – SDD) é um bom nome, como a Rebecca (Garcia – PP) é um bom nome”. O nome do senador Alfredo Nascimento (PR) também foi lembrado por Braga.

Indefinição

A deputada federal Rebecca Garcia (PP), única mulher que figura como pré-candidata ao governo estadual, ainda não anunciou quem poderá ser seu vice. O PP  também não fechou aliança com outros partidos. Contudo, nas inserções do partido na TV, a parlamentar elogiou as obras da gestão do prefeito de Manaus Artur Neto. E quando o presidenciável tucano, Aécio Neves, esteve em Manaus, a deputada participou dos eventos junto com o senador.

Esquerda marchará desunida

Dos partidos da extrema esquerda, o único que já fechou a chapa para o governo foi o PCB. O médico veterinário Francisco Pereira Castelo encabeçará  candidatura comunista junto com a professora  Maria Selma da Silva. Ela é esposa do microempresário Luiz Navarro, que já disputou eleições para prefeito e governador pelo PCB.

O Psol, no domingo, oficializou a candidatura do ex-deputado Abel Alves a governador. A decisão foi contestada na Executiva Nacional da legenda. Herbert Amazonas, do PSTU, diz que pode abrir mão da cabeça da chapa.

Blog - Henrique Oliveira, deputado federal pelo Solidariedade

“Se de nada adiantar  eu saio com uma chapa puro sangue.  Existem pessoas no Solidariedade (SDD) de confiança.   Existe agora um processo de aceleração das definições de quem será escolhido (para vice-governador), pois vários partidos já se decidiram e cada vez fica mais difícil de buscarmos soluções. Eu cheguei a conversar com o PSC mas eles decidiram pela candidatura do governador José Melo. Mas tenho conversado com o Partido Verde e o Partido Social Democrata Cristão”, afirmou o pré-candidato ao governo pelo Solidariedade, Henrique Oliveira.

Chico e Hissa adiam decisão

O PPS e o PMN, partidos de Hissa Abrahão e Chico Preto, respectivamente, pré-candidatos ao Governo do Estado, deixarão para bater o martelo sobre as candidaturas e arranjos eleitorais para a última hora. A convenção partidária das duas siglas foi marcada para o dia 30 deste mês.

No dia 14 deste mês, o PMN realizou uma pré-convenção, onde Chico Preto frisou que desde que assumiu a legenda já reativou 14 diretórios municipais. O PPS informou que ainda trabalha na expectativa de firmar alianças com outros partidos.

PSC anuncia apoio ‘sem pedir nada em troca’

O candidato à Presidência da República pastor Everaldo Pereira (PSC) esteve, ontem, em Manaus, juntamente com o presidente estadual da sigla, deputado Francisco Souza,  para anunciar apoio à pré-candidatura do governador José Melo (Pros).

Durante o evento, que ocorreu no auditório do hotel Ceasar Business, Everaldo afirmou que irá “marchar” ao lado de Melo e de Omar Aziz, que é candidato ao senado pelo PSD. “Vim aqui para dizer que o candidato a senador do PSC aqui no Estado do Amazonas é o nosso ex-governador, Omar Aziz, e que o nosso candidato a governador é o nosso professor José Melo, então, o PSC no Estado do Amazonas vai caminhar com esta dupla que já mostrou que deu certo, e se Deus quiser iremos marchar rumo à vitória”, disse.

O presidenciável disse ainda que o governo da presidente Dilma Rousseff (PT) inverteu a lógica. “Em vez do cidadão se servir do Governo, é o Governo quem está se servindo do cidadão”.

José Melo enfatizou que o PSC anunciou apoio à sua candidatura “sem pedir nada em troca”. “O pastor Everaldo é candidato à Presidência da República e veio aqui ao Amazonas trazer o seu partido para nos ajudar e não pediu nada em troca, então, este é um gesto de extrema importância e um exemplo que precisa ser visto com carinho”, declarou o governador.

O  ex-governador Omar Aziz aproveitou o evento para criticar  ex-aliados. “O grupo de lá está falando em renovação, isso não dá. Doze anos do Amazonino e mais oito anos do Eduardo Braga, então 20 anos é tempo suficiente pra ter resolvido os problemas do Amazonas, eu só tive quatro anos, e eu faço comparativos: Em quatro anos de governo eu fiz muito pelo Amazonas, mais que eles. Mas o povo é quem vai escolher”, afirmou.