Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Coronel da PM envolvido em diversos crimes é nomeado para comandar Ronda no Bairro

Ele responde por crimes como homicídios, formação de quadrilha, corrupção e crime organizado e é acusado de comandar um grupo de extermínio envolvido no "Caso Fred"

A decisão foi publicada no Diário oficial

A decisão foi publicada no Diário oficial (Reprodução/Internet)

Mesmo respondendo na justiça por crimes como homicídios, formação de quadrilha, corrupção e crime organizado, o tenente-coronel da Polícia Militar Raimundo Roosevelt da Conceição de Almeida Neves foi nomeado pelo governador do Amazonas José Melo ao cargo de confiança de Secretário Executivo Adjunto do Programa Ronda no Bairro. A decisão foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) do dia 8 de abril de 2014  e disponibilizada no site da imprensa oficial nesta quarta-feira (9).

O coronel Amadeu Soares pediu exoneração do cargo ao então governador do Estado, Omar Aziz, na última sexta-feira (4), para assumir a Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado de Roraima (RR).

Roosevelt é acusado, juntamente com o tenente-coronel Aroldo da Silva Ribeiro, de comandarem um suposto grupo de extermínio formado por policiais militares. Eles são réus do processo que investiga a morte do técnico agrícola Fred Fernandes da Silva, mais conhecido como o “Caso Fred”.

Os oficiais, assim como o soldado da PM Francisco Trindade Saraiva Pinheiro, chegaram a ser presos após o crime, mas foram colocados em liberdade por excesso de prazo no processo. Os policiais militares Ronaldo Melo da Silva e Olavo Luiz Farias Paixão foram considerados culpados e condenados a 33 anos e 8 meses de reclusão por decisão proferida pelo juiz titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Manaus, Anésio Rocha Pinheiro, no dia 18 de outubro de 2013.

Entenda o 'Caso Fred'

Fred Fernandes foi assassinado no dia 10 de junho de 2001, com tiros de pistola calibre 40, arma exclusiva das polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal. O crime ocorreu entre as ruas Ramos Ferreira e Duque de Caxias, no bairro da Praça 14, Zona Sul de Manaus. Também saíram feridos a sua esposa, Maria da Conceição, e o filho, Adonis, na época com 10 anos de idade.

Os três sofreram o atentado logo após saírem da Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus, onde haviam visitado o outro filho da família, Fred Júnior, que estava preso por ser suspeito de assassinar a ex-namorada e universitária Danielle Damasceno, no dia 19 de março do mesmo ano. O pai Fred Fernandes teria sido morto para vingar a morte da garota, o que desencadeou uma série de assassinatos na cidade.

Danielle Damasceno teria sido morta em uma orgia de drogas entre jovens de classe média. Fred Júnior assumiu ter cortado o pescoço dela com uma faca, porém outros dois rapazes teriam tido participação no crime, entre eles o filho de um oficial da PM, cujo nome nunca foi revelado.

Pela morte de Danielle, Fred Júnior foi julgado, condenado e cumpriu parte da pena em regime fechado. Atualmente ele cumpre o restante da pena em regime aberto.

Mandantes do crime

A morte de Fred também envolve os pais de Danielle Damasceno, que são acusados de terem encomendado a morte dele. Waldemarino Damasceno e Terezinha de Jesus Oliveira Rocha foram julgados e condenados em novembro, após a data de julgamento dos dois ter sido adiada quatro vezes.

Outro réu acusado de participação no assassinado de Fred, o soldado da PM Erivan Pereira, morreu em um acidente de motocicleta e por isso o nome dele foi excluído do processo.

A equipe de reportagem do ACRITICA.COM entrou em contato com a Agência de Comunicação do Estado do Amazonas (Agecom) e com a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública e aguarda respostas sobre a nomeação do tenente-coronel.