Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

IBGE: emprego fica estável em fevereiro, mas recua no indicador anual

O número de horas pagas em fevereiro também ficou estável entre janeiro e fevereiro, enquanto a folha de pagamento real teve alta de 1,6%

O recuo de 2% no nível de pessoal ocupado na indústria na comparação fevereiro de 2014/fevereiro de 2013

O recuo de 2% no nível de pessoal ocupado na indústria na comparação fevereiro de 2014/fevereiro de 2013 (Reprodução Internet)

O emprego no setor industrial permaneceu estável de janeiro para fevereiro deste ano, com o pessoal ocupado assalariado não mostrando variação na série com ajuste sazonal. No acumulado do primeiro bimestre do ano, no entanto, o pessoal ocupado na industria acumula queda de 2%, mesmo resultado do indicador comparação fevereiro 2014/fevereiro 2013.

Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário (Pimes) divulgada hoje (11), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o resultado de fevereiro, o emprego na indústria acumula nos últimos 12 meses (a taxa anualizada) queda de 1,3%. 

Ainda na série ajustada sazonalmente, o número de horas pagas em fevereiro também ficou estável entre janeiro e fevereiro, enquanto a folha de pagamento real teve alta de 1,6%. O fato de não haver variação no total do pessoal ocupado na indústria em fevereiro interrompe um período de três taxas negativas seguidas – quando o desemprego acumulado ficou em 0,6%.

O recuo de 2% no nível de pessoal ocupado na indústria na comparação fevereiro de 2014/fevereiro de 2013, é o vigésimo nono resultado negativo consecutivo nesse tipo de confronto. Já o índice de - 2% no resultado acumulado para o primeiro bimestre de 2014, intensifica, segundo o IBGE, o ritmo de queda ante o segundo (-0,5%), terceiro (-1,2%) e quarto (-1,7%) trimestres de 2013 – ou seja, em todas as comparações contra iguais períodos do ano anterior.

Também a taxa anualizada, índice acumulado nos últimos doze meses, ao recuar 1,3% em fevereiro de 2014, manteve a trajetória ligeiramente descendente iniciada em agosto do ano passado (-1,0%).