Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Polícia deflagra 'Operação Mercúrio II' em Parintins (AM)

A polícia cumpriu 14 mandados de busca e apreensão e 12 de prisão expedidos pela juíza Melissa Sanches da 1ª Vara da Comarca de Parintins

A investigação que iniciou em setembro do ano passado apontou que Luiz Mário Martins Figueira comandava o tráfico de drogas na região

A investigação que iniciou em setembro do ano passado apontou que Luiz Mário Martins Figueira comandava o tráfico de drogas na região (Divulgação )

Uma mega operação foi deflagrada no município de Parintins (distante a 369 quilômetros de Manaus) por policiais civis e militares coordenados pelo Departamento de Polícia do Interior (DPI). Intitulada Mercúrio II, a ação visa combater o tráfico de drogas. Até o fim da manhã desta quarta-feira (16), dezessete pessoas foram detidas, entre elas duas adolescentes.

Aproximadamente 62 policiais participam da operação, sendo 45 policiais civis e 17 policiais militares de Parintins. O delegado Antônio Chicre Neto coordena a equipe de investigação, que conta com a ajuda ainda do Grupo de Força Especial de Resgate e Assalto (Fera), Delegacia Especializada em Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e Delegacia Fluvial (Deflu).

A polícia cumpriu 14 mandados de busca e apreensão e 12 de prisão expedidos pela juíza Melissa Sanches da 1ª Vara da Comarca de Parintins nos bairros do Itaúna I e II, São Francisco e Centro. A investigação que iniciou em setembro do ano passado apontou que Luiz Mário Martins Figueira comandava o tráfico de drogas na região. Ele foi preso durante a operação.

Aproximadamente R$3 mil foram apreendidos, além de 300 gramas de cocaína, três motocicletas e dois carros, sendo um táxi, também foram recolhidos pelos policiais. Os detidos foram levados para a Delegacia Interativa de Parintins. A polícia investiga o envolvimento de possíveis policiais militares no tráfico de drogas e a articulação da facção criminosa Família do Norte (FDN) na ilha Tupinambarana.