Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Polícia encontra carro carbonizado possivelmente de desaparecidos na Transamazônica

A fonte revelou também que às 6h deste sábado (4), as buscas serão intensificadas no local com o objetivo de encontrar os três desaparecidos

Uma fonte de A CRÍTICA participou das buscas e informou que a polícia trabalha com a hipótese de o carro, modelo Gol, ser o mesmo utilizado pelos desaparecidos

Uma fonte de A CRÍTICA participou das buscas e informou que a polícia trabalha com a hipótese de o carro, modelo Gol, ser o mesmo utilizado pelos desaparecidos (Clóvis Miranda)

Homens da Força Tarefa encontraram, no final da tarde de sexta-feira (3), no km-135 da BR-230 (Transamazônica), um veículo carbonizado com as mesmas características do utilizado por Steff Pinheiro de Souza, Luciano Ferreira Freire e Aldeney Ribeiro Salvador, desaparecidos há 20 dias.

O local onde foi encontrado o carro fica dentro da reserva indígena Tenharim Marmelos, entre os municípios de Humaitá e Manicoré, que desde o desaparecimento dos três virou um “palco” de conflitos entre indígenas e moradores da cidade.

Nesta sexta-feira, a Polícia Federal emitiu uma nota informando ter encontrado “um lugar de interesse pericial”, onde estava o veículo.

A PF informou também que peritos criminais foram enviados ao local com a finalidade de realizar exames pertinentes à investigação. Uma fonte de A CRÍTICA, que está no local, participou das buscas e informou que a polícia trabalha com a hipótese de o carro, modelo Gol, ser o mesmo utilizado pelos desaparecidos.

A fonte revelou também que às 6h deste sábado (4), as buscas serão intensificadas no local com o objetivo de encontrar os três desaparecidos. Questionado sobre o motivo de o veículo estar carbonizado, o policial revelou que, provavelmente, tenha sido para dificultar o trabalho de identificação, a fim de eliminar provas e pistas que possam levar aos acusados.

Para os familiares, a falta de informação e os boatos que surgem diariamente, causam danos emocionais e deixam todos apreensivos. “Só Deus sabe o que estamos sentindo e passando. Eu ainda avisei pro meu filho não ir pra lá, quero ele de volta”. O apelo emocionado é da aposentada Almerice Franco Salvador, 65, mãe de Aldeney, que revelou não ter dormido direito depois do desaparecimento do filho.

Almerice, que é mãe de quatro filhos, reclamou sobre a falta de informação por parte das autoridades policiais e da empresa Eletrobrás Amazonas Energia.

“Só fui avisada de que ele desapareceu, três dias depois e mesmo assim não me disseram quase nada. Não sei o que aconteceu com meu filho. São três pais de família que estão nessa situação, pensem um pouco no nosso sofrimento”, reclamou.

A irmã de Aldeney, a dona de casa Aldenires Ribeiro Salvador, 34, também lamenta a falta de informação. “Só queremos saber a verdade e ter nosso irmão de volta”, disse.