Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Candidato a prefeito de Manacapuru faz denúncia contra juíza eleitoral

Washington Régis (PMDB) questiona prisão de cabos eleitorais acusados de intimidar magistrada e do coordenador da campanha dele

Rosália Sarmento foi uma das articuladoras da aprovação da Lei da Ficha Limpa municipal

Rosália Sarmento foi uma das articuladoras da aprovação da Lei da Ficha Limpa municipal (Divulgação/Jornal A Crítica)

A assessoria jurídica da coligação “Resistência de Manacapuru”, do candidato a prefeito Washington Régis (PMDB), disse que ingressou com uma representação no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) contra a juíza Rosália Sarmento. O prefeiturável também  prometeu denunciar a magistrada ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

A coligação questiona a conduta da juíza eleitoral que, na  madrugada de sábado  para domingo, ordenou a prisão de cinco  pessoas identificadas pela Polícia Civil como seguranças de  Régis. Ele foram acusados de tentativa de homicídio contra a magistrada, segundo informações prestadas pelo delegado

Antônio Rodrigues.  “Já entramos com representação contra os atos da magistrada na Corregedoria do TRE-AM”, informou, em nota, a advogada e  do ex-prefeito, Érika Régis.

No início da noite de sábado, Rosália Sarmento apreendeu uma embarcação, que presta serviço de  transporte escolar ao município, conduzindo eleitores para o comício de Washington Régis.

A denúncia contra a magistrada  também foi uma reação  à prisão do coordenador de campanha de Régis, o ex-prefeito de Manacapuru e major da reserva da PM, Afrânio Pereira Júnior,  e do coronel Marcos Brandão, na segunda-feira. O comitê do candidato do PMDB funciona da casa do coronel.

No decreto de prisão,  Rosália Sarmento  afirma que tomou a medida para coibir a mistura perniciosa de PM‘s em atividades político-partidárias, prática que impera no município. “Se não forem adotadas medidas extremas como as que têm sido adotadas nos últimos dias a próxima notícia veiculada será de morte coletiva das duas campanhas”, justificou a juíza, no decreto de prisão de Afrânio. 

Ontem, o presidente estadual do PT, João Pedro, reclamou da conduta da juíza, e prometeu formalizar a crítica  à presidência do TRE-AM. O petista é aliado de Washington Régis.

Ação rigorosa

No início da semana passada, a juíza  decretou a prisão de  nove pessoas, partidários da candidatura do  prefeito  Ângelus Figueira (PV). Cinco deles eram policiais militares acusados de participar de uma briga com cabos eleitorais de Régis.